Feminicídio: homem que matou esposa após briga por futebol vira réu

Leonardo Ceschini confessou o crime e disse que os dois tinham "desavenças devido a cada um ser torcedor de time de futebol diferente"

Foto: Redes sociaisÉrica Fernandes Ceschini e o marido são pais de gêmeos
Érica Fernandes Ceschini e o marido são pais de gêmeos

O empresário Leonardo Souza Ceschini, de 34 anos, tornou-se réu perante a Justiça de São Paulo, pelo crime de feminicídio. Após discussão por causa de um jogo de futebol, a representante comercial Érica Fernandes Alves Ceschini, também de 34 anos, foi morta pelo marido a facadas. O episódio ocorreu em 31 de janeiro.

O marido confessou o crime. Segundo o depoimento do acusado, os dois tinham discutido no dia seguinte à final da Copa Libertadores, quando o Palmeiras venceu o Santos por 1 a 0, no Rio. Leonardo é torcedor do Corinthians e Érica era palmeirense.

No dia do crime, vizinhos acionaram a polícia depois de escutarem gritos no apartamento onde o casal morava. Leonardo e Érica têm filhos gêmeos de dois anos. As crianças não estavam em casa no momento em que o pai matou a mãe.

Érica, ensanguentada e já sem vida, foi encontrada pela polícia. Leonardo confessou o crime. Ele também relatou que os dois tinham “desavenças devido a cada um ser torcedor de time de futebol diferente” e que atacou a vítima com “vários golpes que causaram a morte dela”.


Com informações do Metrópoles