Enfermagem: veja a repercussão da subserviente decisão do ministro Barroso

Vários políticos usaram as redes sociais para criticarem o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso,

Foto: DivulgaçãoEnfermagem
Enfermagem

 

A deputada federal Natália Bonavides (PT-RN)criticou a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso, que suspendeu os efeitos da lei sobre o piso salarial da enfermagem. 

"Inaceitável que o setor patronal recorra ao STF para suspender a lei do piso da enfermagem. Mesmo provisoriamente, a decisão é um desrespeito com a categoria que lutou anos pela regularização, aprovada por ampla maioria no congresso. A mobilização agora é para reverter!", afirmou a parlamentar. 

A deputada federal Talíria Petrone (PSOL-RJ) criticou a decisão de Barroso  

"Argumentar que garantir direitos aos trabalhadores da enfermagem põe em risco a 'subsistência de inúmeras instituições hospitalares' é um exemplo clássico do judiciário subserviente aos patrões", escreveu a parlamentar no Twitter.

"Indignada com a suspensão da lei que cria o piso da enfermagem pelo Ministro Barroso no STF, mas seguiremos na luta ao lado de trabalhadoras e trabalhadores para garantir condições mais dignas de trabalho! Ainda não acabou", acrescentou.

A candidata a deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB-AC) afirmou que é "urgente a mobilização de toda a enfermagem do Brasil" para reverter a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso de suspender a lei sobre o piso salarial de enfermeiros no País. 

"Não tem cabimento a decisão do Ministro Barroso de suspender por 60 dias a lei do piso salarial da enfermagem. Ministro, deixe a enfermagem em paz! Suspenda a roubalheira que é o Orçamento secreto, que tira bilhões da Saúde. É urgente a mobilização de toda a enfermagem do Brasil!", escreveu a candidata no Twitter. 

O candidato a deputado federal Wadih Damous (PT-RJ)disse que o Supremo Tribunal Federal (STF) não tem a função de avaliar impactos econômicos sobre uma medida votada pelo Congresso Nacional. O ex-parlamentar criticou a suspensão da lei que estabelece um piso salarial para a  enfermagem. 

"São questões como essa que quero debater na Câmara dos Deputados. Não cabe ao STF avaliar impactos econômicos de uma lei votada pelo Congresso Nacional. É uma anomalia", afirmou o ex-parlamentar. 

O presidente do Congresso Nacional, senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG), manifestou-se no Twitter  após decisão do ministro Luís Roberto Barroso, do STF. “O piso salarial nacional dos profissionais da enfermagem, criado no Congresso Nacional, é uma medida justa destinada a um grupo de profissionais que se notabilizaram na pandemia e que têm suas remunerações absurdamente subestimadas no Brasil”, escreveu Pacheco.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS