Uber e 99 anunciam reajustes e a culpa é da alta do combustível

99 aumenta os preços entre 10% e 25% e Uber reajusta repasse para o motorista em até 35%

Foto: NSCGasolina
Gasolina

Uber e 99 anunciaram na noite de sexta-feira (10) reajustes nos preços por conta da alta do combustível. Os dois maiores aplicativos de transporte de passageiros no país, tomaram essa decisão por conta das seguidas altas do combustível e várias reclamações dos motoristas dos app.

Depois do crescente número de motoristas que passaram a cancelar as corridas e reclamarem constantemente de como seguidas altas no preço dos combustíveis durante o governo de Jair Bolsonaro estava inviabilizando seus trabalhos, os dois app decidiram agir, mas de uma forma diferente cada.

Enquanto o app da 99 optou por aumentar os preços entre 10% e 25%e repassar para o passageiro, o Uber decidiu reajustar o repasse nas corridas para o motorista em até 35% (o valor do repasse depende de algumas condições), mas sem aumentar o preço final para os passageiros.

De acordo com a 99, a ação busca “equilibrar a plataforma, oferecendo mais ganhos para os parceiros e mantendo a acessibilidade do serviço para os passageiros”. O reajuste vale para mais de 20 regiões metropolitanas, dentre elas São Paulo, Belo Horizonte, Brasília e Salvador.

“Os constantes reajustes dos combustíveis impactaram muito negativamente os serviços de transporte por aplicativo. O aumento revisa os ganhos dos motoristas parceiros e foi definido levando em consideração a manutenção do equilíbrio da plataforma”, afirmou a 99.

Já no caso do Uber, ocorrerá reajuste de até 35% para o motorista na categoria UberX, a mais popular do aplicativo, mas sem repassar o aumento para os passageiros. De acordo com o Uber, os ganhos irão variar do horário e local em que os motoristas atuarem.

A empresa Uber afirmou que “entende a insatisfação causada pelos impactos (do aumento dos combustíveis) em todo o setor produtivo e, por isso, tem intensificado esforços para ajudar os motoristas parceiros a reduzirem seus gastos”.

As duas empresas também lançaram programas de descontos para abastecimento e ganhos adicionais para viagens curtas.


Com informações da Fórum e da Folha