Pensar Piauí

Porto de Luís Correia será entregue hoje

O Porto Piauí irá fortalecer diversos setores econômicos e atrair novos investimentos para o estado

Foto: CcomPorto Piauí
Porto Piauí

 

Idealizado na década de 1960, o Porto Piauí sai do papel na gestão do governador Rafael Fonteles, que está ainda no primeiro ano de gestão à frente do Executivo estadual. O tão aguardado Porto Piauí terá a sua primeira etapa inaugurada, nesta quarta-feira (13), e para comemorar o feito que anuncia a virada de chave para o desenvolvimento econômico do Piauí, o Governo do Estado preparou um ato solene com a presença de autoridades, com a chegada de dois navios da Marinha e uma festa para um público de 12 mil pessoas, que contará com shows gratuitos, dentre eles o forrozeiro Xand Avião. 

O evento é aberto ao público a partir das 14h. O governador Rafael Fonteles, por meio de suas redes sociais, convidou a população para prestigiar esse momento histórico para o Piauí. “Há décadas o povo do Piauí sonha com este projeto para que a gente possa importar e exportar mercadorias a partir do nosso próprio porto. Teremos outras etapas, novos terminais e, certamente, a atração de muitas indústrias para o norte do Piauí. Então, convido a todos a se fazerem presentes neste dia histórico. A gente se encontra lá!”, publicou Fonteles.

O local está apto a receber embarcações com comprimento de 60 metros, calado de 6 metros e boca de 11 metros. Porém, a operação de navios regulares, levando e trazendo mercadorias, só será possível após a instalação de terminais específicos, que serão construídos pelas empresas interessadas em operar no local.

Haverá, em princípio, quatro terminais no porto, de acordo com a atual vocação econômica do Piauí: terminal de pescado, terminal de grãos e fertilizantes, terminal de cargas e descargas em geral e terminal de hidrogênio verde e amônia. Serão abertas concessões para empresas operarem esses terminais. A previsão é de que a construção dos quatro terminais custe R$ 1 bilhão, com maioria dos recursos oriundos de empresas privadas.

Dentro do porto, uma das empresas de processamento de frutos do mar (indústria de conservas) vai gerar cerca de 400 empregos. Além dela, todas as indústrias que serão acopladas ao terminal pesqueiro também vão gerar empregos.

Curiosidades sobre o Porto Piauí

50 anos de idealização

Na segunda-feira (11), o Porto de Luís Correia recebeu o seu primeiro navio, um feito extraordinário após mais de 50 anos desde a concepção do projeto. Os primeiros estudos hidráulicos e hidrológicos datam do final da década de 1960. O G 151 Navio de Apoio Oceânico Iguatemi, da Marinha do Brasil, com 5,5 metros de calado de navegação, tornou-se o pioneiro a transitar pelo canal de acesso marítimo, com profundidade de 7 metros na maré baixa e 9 metros na maré alta.

Bióloga à frente da Companhia de Portos do Piauí

A Companhia de Portos do Piauí, responsável pela implantação e gestão do Complexo Portuário de Luís, é liderada por Maria Cristina Araújo. Bióloga formada pela Universidade Estadual do Piauí (UESPI) e com mestrado em Gestão e Restauração do Meio Natural pela Universidad de Barcelona (UB), ela traz uma perspectiva única para o desenvolvimento sustentável do porto. Seu conhecimento abrange desde a biologia marinha até a gestão portuária, sinalizando uma abordagem inovadora para o setor.

 Paralisações, concessões e subconcessões

O projeto, idealizado na década de 60, enfrentou diversas paralisações. As obras efetivas iniciaram-se entre os anos 1970 e 1980, mas foram paralisadas em 1986 devido à insuficiência de recursos. Após concessões e subconcessões, somente em 2007, por meio de convênio entre a Secretaria Especial dos Portos da Presidência da República (SEP) e a Setrans-PI, foi possível retomar a construção, com investimentos estimados em R$ 12,1 milhões.

Envolvimento privado

O Porto de Luís Correia, agora apto a receber embarcações com calado de 6 metros e boca de 11 metros, se prepara para uma nova fase operacional. A instalação de terminais específicos, a cargo de empresas privadas, permitirá a operação regular de navios a partir do segundo semestre de 2024. Com quatro terminais previstos, incluindo pescado, grãos, fertilizantes, cargas gerais, hidrogênio verde e amônia, o projeto representa um investimento total de R$ 1 bilhão.

Até fevereiro de 2024, o Governo do Estado vai fazer o chamamento público, por meio de editais, para que as empresas interessadas possam explorar o porto e operar os terminais.

Com informações da Ccom e do Meio Norte

ÚLTIMAS NOTÍCIAS