Jefferson recebeu policiais a bala; Lorenzo nada fazia, foi morto com um tiro na cabeça

Lorenzo Dias Palinhas foi morto com um tiro na cabeça

Foto: Montagem pensarpiauíRoberto Jefferson, Bolsonaro e Lorenzo Dias
Roberto Jefferson, Bolsonaro e Lorenzo Dias

Moradores do Complexo do Chapadão, Zona Norte do Rio de Janeiro, protestaram e pediram justiça pelo adolescente Lorenzo Dias Palinhas, de 14 anos, morto durante uma ação da Polícia Rodoviária Federal (PRF), na madrugada desta sexta-feira (28).

Lorenzo Dias Palinhas foi morto com um tiro na cabeça. Segundo moradores da região, ele era um entregador de lanches e não tinha qualquer relação com a operação policial que se desdobrava na comunidade naquele momento. O adolescente trabalhava para ajudar a mãe com as contas de casa e foi atingido durante uma entrega. No momento de sua morte, tinha R$ 10 em mãos, que havia recebido pelo serviço.

A operação envolvia homens da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Polícia Militar em uma busca pelos assassinos do agente da PRF Bruno Vanzam Nunes, que foi morto em uma tentativa de assalto. A PRF afirma, em nota, que foi recebida a tiros por 30 suspeitos quando entrou na comunidade, tendo detido dois menores e "neutralizado" um terceiro, que supostamente seria Lorenzo.

Em entrevista ao SBT, um morador disse que é falsa a versão da polícia de que o jovem fazia parte do tráfico de drogas e comparou o caso ao ataque do ex-deputado Roberto Jefferson à Polícia Federal.

“É mentira. Até o lanche que o menino vendia falaram que o policial comeu. Isso é covardia e a gente aqui na favela não tem nem direito de vir um carro para buscar o nosso corpo morto, tem que levar na mão, a mãe tem que levar o filho na mão. É inadmissível, a gente é ser humano, o que a gente quer é tratamento igual”, afirma o homem em entrevista ao SBT.

“Aqui ninguém jogou granada no policial, aqui ninguém deu tiro de fuzil no policial. Cadê o ministro [da Justiça]? Tem que no mínimo dar os pêsames para essa família. A nossa comunidade está de luto. O que a gente quer é justiça”, completa o morador, puxando um coro de “justiça”.

Desde a noite de ontem, agentes da PRF em parceria com a Polícia Militar fazem buscas pelos assassinos de Bruno Vanzan Nunes, integrante da PRF morto em uma tentativa de assalto.

Em nota, a corporação afirmou que foi recebida por tiros ao chegar à comunidade. Eles apreenderam dois menores e dizem ter “neutralizado” um terceiro, que supostamente seria Lorenzo.

De acordo com a corporação, os menores admitem fazer parte do tráfico de drogas e que os três estavam de “plantão” no comércio da “boca de fumo” e na “contenção” da comunidade.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS