Dia de terror em Vitória-ES: ônibus e carro de reportagem incendiados

Aulas e atendimento médico foram suspensos

Foto: Folha de VitóriaIncêndio
Incêndio

Criminosos realizaram uma série de ataques a ônibus em Vitória, Espírito Santo, nesta terça-feira (11). A ação seria uma represália pela morte de um suspeito em um confronto entre policiais militares e criminosos armados na noite de segunda-feira (10).

De acordo com a polícia, o homem, identificado como Jhonatan Cândito, seria segurança do traficante Fernando Moraes Ferreira Pimenta, conhecido como 'Marujo', responsável pelo comando do tráfico de drogas em várias regiões da Grande Vitória.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, o suspeito morto no confronto com a PM já esteve preso outras por tráfico de drogas e outros crimes.

O confronto

Ainda segundo a PM, policiais receberam uma denúncia anônima informando que 'Marujo' estaria escondido na escadaria Alexandre Rodrigues. Quando chegaram ao bairro, foram recebidos a tiros.

Jhonatan Cândido ficou ferido e foi socorrido e levado para o Hospital Estadual de Urgência e Emergência, em Vitória, mas não resistiu aos ferimentos.

Foram apreendidos uma pistola calibre 9 milímetros, dois carregadores de pistola e munição calibre 12 e 9 milímetros.

Foto: Folha de VitóriaIncêndio
Incêndio

Ataques a ônibus

Por volta de 10h30 de terça-feira, um ônibus do Sistema Transcol foi atingido por pelo menos 30 tiros, no bairro Consolação. Ninguém ficou ferido.

A PM conta que suspeitos armados retiraram o motorista e passageiros do coletivo e atiraram contra o ônibus.

No início da tarde de terça, mais dois ônibus do Sistema Transcol foram incendiados nos bairros Consolação e Santo Antônio.

No começo da noite de terça, outros três ônibus foram incendiados. Dois coletivos passavam pelo Centro de Vitória e pelo bairro Enseada do Suá. Um deles foi incendiado na Rua Dukla de Aguiar, que dá acesso à Terceira Ponte.

Com esses ataques chegou a seis o número de coletivos atacados em Vitória. Cinco foram incendiados.

Carro de reportagem

No final da manhã de terça, um carro de uma equipe de reportagem da TV Tribuna, emissora afiliada do SBT, foi atingido por tiros e incendiado no Bairro da Penha. Ninguém ficou ferido no incêndio.

No momento do ataque, profissionais de imprensa estavam no bairro acompanhando os desdobramentos do confronto da noite anterior, com o ataque ao primeiro ônibus no bairro Consolação, que fica na mesma região.

Aulas suspensas

A Universidade Federal do Espírito Santo suspendeu as aulas e dispensou alunos, funcionários e professores.

A Prefeitura de Vitória informou que suspendeu as aulas do turno vespertino em três escolas da rede municipal, por conta dos ataques.

Unidades de saúde

O Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes, que fica no mesmo bairro da Universidade, seguiu funcionando normalmente. Já o atendimento em três unidades de saúde foi suspenso.

Oito linhas de ônibus do Sistema Transcol foram suspensas e outras duas tiveram mudanças no itinerário.

A Polícia Militar prendeu sete homens suspeitos de participação nos ataques a ônibus. Os detidos foram levados para a Delegacia Especializada de Segurança Patrimonial (DSP), no bairro Bonfim.

De acordo com a PM, cinco deles foram capturados enquanto estavam com um galão de gasolina próximos a um ponto de ônibus na Avenida Beira Mar. Os outros dois foram detidos no ponto final do bairro Maria Ortiz, também segurando um galão de gasolina.

Foto: Folha de VitóriaMarujo
Marujo

Quem é Marujo

Marujo é considerado um dos traficantes mais perigosos e procurados pela Justiça no Espírito Santo.

Os ataques foram reivindicados pelo Primeiro Comando de Vitória (PCV), organização criminosa que atua e aterroriza comunidades do Bairro da Penha, Bonfim, São Benedito, Consolação, Gurigica e Itararé. 

O PCV vive da venda de entorpecentes e também do tráfico de armas. O poder bélico alimenta a guerra e possibilita a conquista de novos territórios fora da capital.

Entre os seus líderes está Marujo. Segundo o delegado Marcelo Cavalcanti, o traficante é o mentor do chamado conselho administrativo do PCV.  

Cavalcanti participou da Operação Sicário, em que foram evidenciadas a ligação do grupo capixaba ao Comando Vermelho (CV), uma das maiores facções criminosas do país atuante no Rio de Janeiro.

"Ele é o criminoso mais procurado do Estado e chefia o Bairro da Penha, o Bonfim e deve satisfação a Carlos Alberto Furtado, fundador do PCV, diretamente, e a ninguém mais. A gente sabe que ele é o responsável por gerir não só a parte financeira, mas também a parte de compra de armas, drogas e captação de 'soldados do crime'", explicou em agosto, durante entrevista à TV Vitória. 

Marujo é descrito pela Polícia Civil como um criminoso perigoso, detentor de uma longa ficha criminal. 

Ele é considerado foragido desde 2017 e tem cinco mandados de prisão em aberto envolvendo homicídio qualificado, tráfico de drogas, associação ao tráfico e organização criminosa. 

Em abril deste ano, policiais realizaram buscas na casa do pai de Marujo, no Bairro da Penha. Encontraram um esconderijo no imóvel. 

Durante a operação, o próprio traficante fez uma chamada de vídeo para os familiares, querendo conversar com o delegado Cavalcanti. O oficial não quis atender.

Com informações da Folha de Vitória

ÚLTIMAS NOTÍCIAS