Algemado, preso rende escrivão, toma arma e atira na nuca da vítima

Suspeito estava algemado e prestava depoimento quando matou o policial civil

Foto: Diário do NordesteAntônio Josivan
Antônio Josivan

Diário do Nordeste -  Um escrivão da Polícia Civil do Ceará morreu, na madrugada desta sexta-feira (30), ao ser baleado na nuca por um homem que prestava depoimento na Delegacia Regional de Tauá, no Sertão dos Inhamuns. 

Aloísio Alves Lima Amorim, de 60 anos, teve a própria arma tomada por Antônio Josivan Lopes Silva, 30, preso por tráfico de drogas. Mesmo algemado, o suspeito disparou contra a vítima por volta das 2h e fugiu na sequência.

Foto: Diário do NordesteAloísio Alves
Aloísio Alves

 


 

O delegado Danilo Távora informou que Josivan e um comparsa foram levados à Delegacia de Tauá após envolvimento em uma ocorrência de venda de entorpecentes no município de Pedra Branca, distante 89 km. Enquanto a dupla estava detida, o suspeito pegou a arma do policial civil e atirou. 

Foram realizados os primeiros socorros na vítima ainda na delegacia, porém o agente não resistiu aos ferimentos e morreu.

"Não temos como precisar em que momento ele teve acesso à arma, pois os suspeitos estavam sozinhos com o escrivão dentro da sala", pondera o delegado.

Os dois homens trocaram tiros com outros policiais na delegacia. O comparsa foi recapturado, mas Josivan ainda está foragido, algemado e em posse da arma do escrivão. Ele usa calça jeans e camisa escura, e tem estatura alta.