Sociólogo, Professor aposentado da UFPI

Antonio José Medeiros

Sociólogo, Professor aposentado da UFPI

Manoel Lopes, um companheiro inteligente e inquieto

Foto: ReproduçãoManoel Lopes e a irmã Kalina
Manoel Lopes e a irmã Kalina

 

Conheci o Manoel Lopes em Água Branca, há mais de 30 anos; depois é que soube que ele, a família dele, era de Barro Duro. 

O Manoel foi estudante e bancário concursado do Banco do Brasil, em Brasília. Lá conheceu o PT e começou a participar. Quando se transferiu para o Piauí, para a agência de Água Branca, entrou em contato com a gente. Conversamos juntos com o Nezinho, presidente o STR de Água Branca e organizador do PT no município. O Manoel se engajou e ajudou na organização do partido em outros municípios do Médio Parnaíba.

Sempre participava das reuniões estaduais, bem informado e polêmico. E olhe que não tínhamos ainda o celular e as redes sociais.

Passou um tempo afastado, tratando de problemas pessoais e retornou como servidor concursado do estado. Em Teresina, sempre marcava presença em nossas plenárias. Aí foi eu que estive uma temporada em Brasília.

Trabalhou na SEPLAN e era meu “professor de orçamento”. Fala de modo claro, didático sem se prender ao “orçamentês”, o tal QDD. Teve conflitos no encaminhamento de algumas coisas - o Manoel sempre polêmico – e foi trabalhar no lugar certo: a assessoriaeconômica da SEFAZ. 

Como Presidente da CEPRO ia vez por outra conversar com ele sobre a estrutura econômica e a situação fiscal do Piauí. Produziu vários textos, alguns deles publicados no Anuário do encontro nacional, não me lembro se de auditores fiscais ou de uma Associação de estudos. Me presenteou com dois ou três desses Anuários.

Nossas conversas ultimamente não eram tão frequentes, pois ando meio afastado da gestão pública. Mas sempre tinha notícias dele, através de amigos comuns. Na semana passada, nos encontramos nos corredores da SEDUC. Conversamos alguns minutos. Entusiasmado com a campanha do Lula e do Rafael. Não sabia que estávamos nos despedindo.

Manoel Lopes, de Barro Duro, do Piauí, do PT, amigo, um companheiro inteligente e inquieto!

Veja a seguir a homenagem que a irmã de Manoel, Kalina, fez em suas redes sociais:

"Pense num Nêgo Abusado, mas estiloso e cheio de charme… Um cara rico de auto-estima, força de vontade e que não baixava a cabeça pra circunstâncias e muito menos pra dificuldades! Sua vida nunca foi fácil… Soube de algumas dessas dificuldades, ouvindo-o contar algumas delas, varando as madrugadas sentados naquela mesa branca, debaixo de uma árvore grande que nos abrigava do sol, da chuva e na maioria das vezes, da noite! É desse sorriso que vou me lembrar pro resto da minha vida meu Irmão que tanto amo! Nessa mesma mesa vc me disse várias vezes que tbm me amava… Na terça-feira eu fui te visitar pela primeira vez no hospital e me senti totalmente impotente e pedi a Deus por mais esse milagre na nossa família… Mas o Senhor já havia te recolhido e eu não sabia😭😭😭 Eu não sabia que nosso encontro de despedida seria naquela caminhada no Promorar… Nunca tinha te visto tão empolgado com uma campanha eleitoral desde 2002… Você é um exemplo de superação pra todos nós e é exatamente por isso que estou tão chocada com sua partida tão precoce! Mais vc sempre foi precoce! Saiu de casa aos 13 anos pra estudar em Brasília e só voltou depois de formado e concursado! Quantas vezes vc me contou essa história… 😭😭😭😭 Aos 64 anos, formou-se no segundo curso superior e já com planos de ir morar perto do Mar… Infelizmente mais esse sonho seu não vai se realizar… Mas toda vez que eu estiver perto do Mar vou lembrar de você com mais intensidade pq você é como ele: imensidão e profundidade! Esse post não é um adeus… é um até breve porque vamos nos reencontrar na eternidade com Cristo! Eu Te Amo e você sempre soube disso pq tbm me amava muito!!!😭😭😭😭"

OBS: Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do pensarpiaui.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS