Pensar Piauí

Vídeo: Avião se desintegra no ar e cai em MG; há ao menos 3 mortos

Avião de pequeno porte caiu na área rural de Itapeva, em Minas Gerais. De acordo com moradores, chovia forte na região

Foto: ReproduçãoAvião se desintegra no ar e cai em MG
Avião se desintegra no ar e cai em MG

Um avião de pequeno porte caiu na manhã deste domingo (28/1) na zona rural de Itapeva (MG), cidade que fica a cerca de 460 km de Belo Horizonte. Segundo o Corpo de Bombeiros, ao menos três pessoas morreram, sendo dois homens e uma mulher, ainda não identificados. A informação inicial era de que havia cinco mortos, incluindo uma criança, mas, oficialmente, estão confirmados três óbitos até o momento.

Por algum motivo, a aeronave se desintegrou no ar e caiu por volta de 10h36. Chovia forte na região nesta manhã.

Imagens nas redes sociais mostram moradores se mobilizando na área após a queda do avião.

Bombeiros de Extrema (MG) foram acionados e estão participando do atendimento à ocorrência. Há ainda uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) com eles.

Pessoas viram avião se partindo no ar

De acordo com as informações no histórico da chamada, algumas pessoas da região avistaram um avião monomotor se partindo no ar enquanto sobrevoava a região e que suas partes foram caindo aos poucos ao solo.

De acordo com a última atualização no sistema, bombeiros ainda não haviam acessado a parte principal do monomotor.

As equipes prosseguem nas buscas de outras possíveis vítimas na região em que os destroços da aeronave caíram, a um raio aproximado de 400 metros. O acidente ocorreu no Bairro Monjolinho, tendo como referência o Hotel Vale Suíço.

Investigação

Investigadores do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) foram acionados para realizar a ação inicial da ocorrência envolvendo a aeronave.

Nessa fase, são realizadas coleta e confirmação de dados e verificação inicial de danos causados à aeronave, ou pela aeronave. Também são levantadas outras informações necessárias ao processo de investigação.

“A conclusão das investigações terá o menor prazo possível, dependendo sempre da complexidade de cada ocorrência e, ainda, da necessidade de descobrir os possíveis fatores contribuintes”, disse o Cenipa.

A reportagem acionou a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para ter acesso aos dados da aeronave, mas ainda não obteve resposta.

Com informações do Metrópoles

ÚLTIMAS NOTÍCIAS