Pensar Piauí

Técnico se demite no intervalo, médico assume o comando e vence partida

Comissão técnica não gostou das críticas e o time foi comandado pelo médico do clube no 2º tempo.

Foto: Jéssica Lineker/Brasiliense FCJorge Oliva, médico do Brasiliense
Jorge Oliva, médico do Brasiliense

 

O futebol brasileiro é repleto de peculiaridades e isso não é uma novidade, é um fato. Mas, nesse domingo (12), esse fato alcançou um novo patamar na Série D do Campeonato Brasileiro quando o técnico Paulo Roberto Santos e sua comissão técnica pediram demissão durante o intervalo da partida do Brasiliense contra o Real Brasília, após não gostarem das críticas do presidente do clube, Luiz Estevão. Naquele instante, a partida estava empatada em 0 a 0.

Como não poderia deixar de ter um comandante à beira do campo, a direção do Brasiliense apostou suas fichas em Jorge Oliva, nada mais, nada menos, que o médico do time. O resultado vai te surpreender ainda mais: o Brasiliense venceu o confronto por 2 a 1.

Era a terceira partida de Paulo Roberto no comando da equipe, que ele havia assumido para treinar durante a Série D. Naquele momento, eram uma vitória e uma derrota em sua conta e, após o fim da partida, o clube emitiu uma nota em que enfatizava a melhoria do time após a saída do técnico.

Só em 2024, Luiz Caros Souza, Vilson Taddei e Luis dos Reis comandaram o Brasiliense antes e Paulo Roberto. Apesar da alta rotatividade, um iminente sinal de crise, a equipe lidera o Grupo E da Série D.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS