Pensar Piauí

Suzanne não é mais von Richthofen

Ela exterminou também desta vez o seu sobrenome de batismo

Foto: DivulgaçãoSuzane von Richthofen
Suzane 

 

Suzane Louise von Richthofen, de 40 anos, condenada a 39 anos de prisão como mandante dos homicídios de seus pais, Manfred e Marísia von Richthofen, exterminou também desta vez o seu sobrenome de batismo. Agora ela se chama oficialmente Suzane Louise Magnani Muniz.

A mudança no nome de batismo ocorreu no dia 13 de dezembro do ano passado, mesmo dia em que ela e o médico Felipe Zecchini Muniz, de 39 anos, foram até o cartório de Angatuba, no interior de São Paulo, para declarar uma união estável.

O casamento de Suzane e Felipe ocorreu dez meses depois que ela deixou a Penitenciária de Tremembé em regime aberto e oito meses após conhecer o médico pelas redes sociais. O casal se conheceu no Instagram.

Sobrenome da avó

Suzane se livrou de “von Richthofen”, mas resolveu usar o sobrenome árabe da avó materna, Lourdes Magnani Silva Abdalla, morta em 2012 aos 92 anos. A mãe de Suzane, Marísia, não carregava o “Magnani” no sobrenome. Já o “Muniz” ela pegou do companheiro, que por sua vez herdou do pai, o médico José Alonso Muniz, morto em 2022.

Suzane e Felipe decidiram declarar união estável justamente para alterar o sobrenome e tentar afastar da família o estigma do crime que ela cometeu em 2002.

Suzane deu à luz o primeiro filho com Felipe na noite de 26 de janeiro de 2024, mas o bebê só foi registrado três dias depois. A criança recebeu o nome do pai e o novíssimo sobrenome da mãe. No entanto, no campo da certidão destinado aos avós maternos do menino, consta o “von Richthofen” ao lado dos nomes de Manfred e Marísia.

Com informações da Forum

ÚLTIMAS NOTÍCIAS