PRO Piauí Educação lança o maior programa de alfabetização do Estado

A meta é alfabetizar 200 mil jovens, adultos e idosos do Piauí nos anos de 2021 e 2022

Foto: Governo do PiauíLançamento do Programa de Alfabetização de Jovens, Adultos e Idosos, o PROAJA
Lançamento do Programa de Alfabetização de Jovens, Adultos e Idosos, o PROAJA

 

O governador Wellington Dias lançou, nesta quinta-feira (15), o Programa de Alfabetização de Jovens, Adultos e Idosos, o PROAJA, o maior programa de alfabetização já realizado no Piauí. Uma ação do PRO Piauí Educação com o objetivo de alfabetizar 200 mil jovens e adultos do Piauí nos anos de 2021 e 2022. A solenidade aconteceu de forma híbrida no Palácio de Karnak.

O estado do Piauí conta, atualmente, com 16% de sua população acima de 15 anos analfabeta, um público de jovens, adultos e idosos que não tiveram sua Educação Básica garantida. O PROAJA será implementado pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc), com o propósito de ampliar oportunidades educacionais apropriadas à população jovem, adulta e idosa, comprovadamente analfabeta.

Um exemplo é a Maria de Fátima, de 66 anos e mora no bairro Promorar, em Teresina. A idosa não pôde estudar quando criança e vê no PROAJA a oportunidade para voltar à escola. “Quando era criança, precisei trabalhar na roça, mas sempre quis aprender a ler e participar dos grupos na igreja. Agora vai dar certo para voltar a estudar”, contou.

De acordo com o chefe do Executivo estadual, o objetivo é oferecer um suporte para que a pessoa prossiga estudando e melhore as condições de vida. “É um desafio grande, não é fácil buscar esse público, pessoa que já tem uma família, que tem que cuidar dos seus afazeres, mas estamos fazendo uma grande aposta, porque isso muda a vida. É mais do que um chamamento para aprender a ler e a escrever, que é o objetivo técnico, queremos ir além, queremos que essa pessoa possa ter acesso a condição de prosseguir estudando para ter um ofício, empreender, com uma certificação e uma condição de vida melhor”, afirmou Wellington Dias.

O programa irá envolver diversos atores, como entidade privadas, toda a rede da Seduc, organizações civis e sociais, municípios, outras entidades e trabalhará com sistema de monitoramento e gestão. Assim, o governador assinou a autorização para a publicação do edital de credenciamento de entidades privadas para prestação de serviços educacionais.

“O PROAJA é um programa inovador, que busca fazer uma parceria ampla, tanto no setor público quanto com o setor privado, para que possamos levar alfabetização a essa população piauiense que ainda não foi alfabetizada. Esse programa vai percorrer todos os municípios, tanto na zona urbana quanto da zona rural, inclusive é importante que se diga que mais da metade dessa população que ainda é analfabeta acima dos 15 anos se encontra na zona rural. Então, de fato, é um programa que vai precisar de um grande engajamento social para que a gente consiga chegar nesse cidadão e permita que ele possa voltar à escola e cumpra essa etapa importante da sua escolarização, que é alfabetização, e na sequência ele pode seguir na Educação de Jovens e Adultos (EJA)”, ressaltou o secretário da Educação, Ellen Gera.

Os estudantes matriculados no PROAJA, receberão, do Governo do Estado, uma bolsa no valor de R$400,00 para motivá-los ainda mais, serão monitorados para identificação do nível de alfabetização e, ao final, receberão certificado. São mais de R$400 milhões sendo investidos no programa.

“O PROAJA cumpre um papel fundamental do planejamento do governador Wellington Dias e da vice-governadora Regina Sousa, e um lema em particular de não deixar ninguém para trás. Nosso foco é oportunizar a alfabetização a pessoas que não tiveram essa oportunidade, a maior parte tem mais de 60 anos e mora na zona rural”, declarou Rafael Fonteles, secretário de Estado da Fazenda (Sefaz) e coordenador-geral do PRO Piauí.

Foto: Governo do Piauíxx

 

O programa foi criado com a consultoria da Fundação Getúlio Vargas (FGV). “Esse é um programa que vem a partir de um grande aprendizado e de um grande trabalho que foi feito com a secretaria, no qual analisamos as experiências e evidências que encontramos no Brasil, no ponto de vista de programas de alfabetização e, em função disso, se fez um desenho onde temos três características importantes: a diversificação, a ideia é que todas as forças de educação do Piauí sejam mobilizadas para que possamos ter um grande resultado; o incentivo financeiro, um grande diferencial; e o monitoramento, o controle desse processo no acompanhamento do desempenho do alfabetizando”, destacou o consultor da FGV, Henrique Paim.

A vice-governadora Regina Sousa frisou que a crise do coronavírus deixou a alfabetização ainda mais desafiadora. “A pandemia deixou muitas sequelas, mas a maior delas foi na educação, só vamos saber quando fizermos o reencontro na sala de aula. São muitos desafios para a educação, na alfabetização é ainda mais desafiador por envolver um público especial, que precisa de muita atenção e que a escola precisa ir até ele”, disse Regina.

Foto: Governo do Piauíxx

 

As entidades poderão se credenciar no site https://www.seduc.pi.gov.br/aja/ onde encontrarão todas informações sobre o programa.