Polícia Civil aprova demissão de delegado bolsonarista por vídeo racista e ameaças

Bilynskyj disse que não teve ciência da decisão do conselho, mas, para ele, “tudo não passa de uma represália política”

Foto: Reprodução/redes sociaisPaulo Bilynskyj
Paulo Bilynskyj

 

A demissão do delegado Paulo Bilynskyj foi aprovada pelo Conselho da Polícia Civil de São Paulo. A decisão foi tomada após delegados da Corregedoria da instituição entenderem que o vídeo compartilhado por Bilynskyj nas redes sociais faz apologia dos crimes de estupro e racismo.

O policial é o mesmo que teve a arma retirada pela polícia após aparecer nas redes sociais atacando a esquerda e convocando seguidores a participarem de atos em apoio a Jair Bolsonaro (PL), em 7 de setembro deste ano.

De acordo com integrantes da cúpula da segurança paulista, a punição ocorre porque, em maio de 2020, Bilynskyj publicou um vídeo nas redes sociais, pela Estratégia Concursos, com conteúdo considerado ilegal. O vídeo mostra uma moça branca sendo carregada por homens negros e, na legenda, a “situação fica preta”, fazendo referência para quem não se prepara adequadamente para concursos.

“E aí… a situação fica preta! Para não passar por isso e nem levar trolha na prova, esteja lá na live do dia 18/05, às 10h!”, diz trecho da publicação. Após reação negativa na época, o anúncio foi retirado do ar com pedido de desculpas.

Foto: ReproduçãoImagem do post publicado por curso online ligado a delegado de polícia de SP
Imagem do post publicado por curso online ligado a delegado de polícia de SP

O Conselho aprovou a demissão proposta pela Corregedoria na semana passada. O processo administrativo com a decisão foi enviado à Secretaria da Segurança. A fala final cabe apenas ao governador Rodrigo Garcia (PSDB).

Procurado, Bilynskyj disse que não teve ciência da decisão do conselho, mas, para ele, “tudo não passa de uma represália política”.

Com informações do DCM 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS