Osmar Júnior avalia resultado das eleições e destaca força política da base aliada

Segundo ele, os aliados saíram das urnas com maioria absoluta de votos e prefeituras, o que demonstra força eleitoral

Foto: Via AgoraOsmar Júnior
Osmar Júnior (PCdoB)

O secretário de governo do Piauí, Osmar Júnior, avaliou de forma positiva o resultado das eleições 2020 para a base aliada ao Palácio de Karnak. Segundo ele, os aliados saíram das urnas com maioria absoluta de votos e prefeituras, o que demonstra força eleitoral.

“No caso do Piauí, o governador teve a oportunidade de se reunir com os presidentes dos partidos que formam a base do governo aqui no estado e o balanço foi muito positivo. Se você reunir o PT, MDB, PSD, Republicanos, PTB, PDT, dentre outros, foram eleitos 131 prefeitos filiados a esses partidos que formalmente estão na base do governo. Se você pegar os partidos que formalmente estão na oposição, como Progressistas, PSDB e DEM, eles elegeram 86 prefeitos”, disse o secretário, ressaltando ainda a disputa em Teresina.

"Tem uma prefeitura pra ser decidida - que é Teresina - e outras 6 prefeituras são de partidos que não estão na base no governo e nem formalmente na oposição, que é o caso do PSB. Se você pegar o número de votos, foram mais de 1 milhão. O balanço feito pelos presidentes é de que o resultado foi satisfatório e amplamente favorável ao reconhecimento e da força eleitoral junto ao povo do Piauí”, acrescentou.

Osmar Júnior lembrou que, para ser eleito, você precisa ter partido ou coligações.“O governo do Piauí não tem interferência direta no processo eleitoral, mas os partidos que dão sustentação do governo, são eles os instrumentos decisivos para o sistema democrático funcionar”, declarou.

Segundo turno em Teresina

O secretário negou que exista determinação no governo para que os partidos da base apoiem Dr. Pessoa (MDB).

“Essa decisão agora será dos partidos. Cada partido vai tomar a sua decisão. É claro e natural se imaginar que os partidos de oposição possam caminhar juntos. É uma tendência, mas não há uma determinação para que todos da base do governo para que todos se aliem a partido A ou B”, finalizou.

Com informações Cidade Verde