Mulher leva marido morto ao banco para “prova de vida”

A Polícia Civil de Campinas (SP) indiciou Josefa de Souza Mathias, por vilipêndio de cadáver (desrespeito ao corpo) e tentativa de estelionato

Foto: DCMProva de vida
Prova de vida

Fonte: DCM

A Polícia Civil de Campinas (SP) indiciou Josefa de Souza Mathias, de 58 anos, por vilipêndio de cadáver (desrespeito ao corpo) e tentativa de estelionato. Ela levou o marido, Laércio Della Colleta, de 92, a uma agência do Banco do Brasil para fazer uma ‘prova de vida’ para obter uma nova senha para movimentar a conta bancária, só que ele estava morto havia pelo menos 12 horas antes. Em depoimento, ela negou a tentativa de fraude.

O delegado do 1º Distrito Policial da cidade ouviu dois funcionários do banco que presenciaram a confusão que aconteceu no dia 2 de outubro. Josefa chegou com Laércio em uma cadeira de rodas, acompanhada de um casal de amigos, quando pediu para obter uma nova senha para conseguir sacar a aposentadoria do marido.

Ela havia perdido a combinação anterior, e só poderia obtê-la se tivesse uma procuração ou levasse o homem presencialmente — a “prova de vida”.

A gerente da agência estranhou a aparência do homem e chamou um bombeiro civil, que percebeu que Laércio estava morto. Samu e Corpo de Bombeiros foram acionados, quando um médico levantou a suspeita de que ele estava morto há mais tempo do que parecia. O chefe de segurança contou que viu Josefa agitada.