Lula diz em entrevista que mudará política de preços da Petrobras

O ex-presidente defendeu que o preço deve ser baseado no custo de produção, não nos valores internacionais

Foto: ReproduçãoEx-presidente Lula
Ex-presidente Lula

 

O ex-presidente e candidato à Presidência da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) prometeu, se eleito, alterar a política de preços da Petrobras, aumentar a quantidade de refinarias e a intervenção dentro da empresa.

As declarações foram dadas ao portal Uol, nesta quarta-feira (27/7). Essa é a primeira entrevista do petista após a oficialização da candidatura, na última semana. Lula lidera as pesquisas de intenção de voto à frente do presidente Jair Bolsonaro (PL), que tenta a reeleição.

Lula afirmou que mudará a política de preços da estatal petroleira para retirar o pagamento em dólar. E defendeu que o preço deve ser baseado no custo de produção, não nos valores internacionais.

“Pretendo mudar a política de preço da Petrobras. Ela tem que ser em função dos custos e gastos reais do povo brasileiro. Essa história de internacionalizar [o preço] é para agradar acionistas em detrimento de milhões de brasileiros”, disse Lula.

Atualmente, a Petrobras pratica o Preço de Paridade de Importação (PPI) em que é considerado os custos totais para importação. O valor é calculado com base no preço de aquisição do combustível mais os custos de sua entrega, incluindo transporte e taxas portuárias. “Produzimos em real, pagamos salário em real”, frisou.

Além disso, Luiz Inácio falou sobre a necessidade de aumentar a produção e de garantir o funcionamento de refinarias. Para isso, Lula afirma que irá produzir mais refinarias no país e que garantirá a estabilidade dos valores dos combustíveis.

O candidato petista condenou a privatização da BR Distribuidora e afirmou que a Petrobras não pode ser tratada apenas como uma empresa de petróleo.

“Vou fazer a Petrobras ser, se não a primeira, a segunda empresa petroleira do mundo”, afirmou Lula.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS