Hoje, mesmo sem saber, ele pode ser eleito prefeito de Goiânia

Uma eleição sem precedentes acontece no coração do Brasil

Foto: VejaMaguito Vilela
Maguito Vilela

 

Em Goiânia, a maior capital do Centro-Oeste brasileiro, o candidato à prefeitura Maguito Vilela (MDB) disputa o segundo turno, neste domingo, mas ele ainda nem sabe disso. Internado na UTI do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, desde o dia 27 de outubro, devido complicações pulmonares causada pela covid-19, o candidato teve que ser intubado às pressas na tarde do dia 15 de novembro, poucas horas antes do fechamento das urnas na capital goiana. O emedebista acabou vencendo com uma vantagem de quase 12 pontos percentuais nos votos válidos sobre o segundo colocado, o senador Vanderlan Cardoso (PSD): 36,02% X 24,67%.

Uma pesquisa Ibope para o segundo turno divulgada no último dia 24 mostrou que apesar de intubado, o apoio a Maguito se consolidou, e ele alcançou 54% das intenções de voto contra 31% de Cardoso. 

O coronavírus que o mantem internado foi na prática o responsável pela sua candidatura 

O bem avaliado atual prefeito Iris Rezende (que comandou de 1965 a 1969, de 2005 a 2010 e desde 2017) desistiu de concorrer à reeleição. Prestes a completar 87 anos, o decano emedebista, teria atendido o apelo familiar para que não fizesse campanha em plena pandemia de covid-19.

Maguito então foi para o front da disputa eleitoral, ainda que ele, aos 71 anos, também fizesse parte do grupo de risco.

Além da idade, outro fator pesa sobre o candidato em relação à doença: ele perdeu duas irmãs para o coronavírus em agosto deste ano. Nelma Vilela faleceu aos 76 anos de idade, no dia 19 de agosto. Nove dias depois Maguito perderia também a irmã mais velha, Nelita Vilela, de 82 anos, para a doença.