Em 11 anos, orçamento do MEC para universidades é reduzido em 37%

Queda foi de R$ 4,5 bilhões e afeta despesas como água, luz, segurança, bolsas de estudo e auxílio estudantil

Foto: Redes sociaisManifestação
Manifestação

 

Desde 2010, o Ministério da Educação (MEC) reduziu 37% do orçamento destinado às universidades, segundo informações do G1. Em valores atualizados, do orçamento de 2010 de R$ 7,1 bilhões, o governo passou a destinar apenas R$ 5,5 bilhões, ou seja, uma queda de R$ 4,5 bilhões.

A redução afeta recursos destinados a pagamentos correntes, como conta de luz, água, segurança, além de bolsas de estudo e auxílio estudantil.

Segundo informações da Andifes, somente de 2020 para 2021, o governo cortou 18,16% da verba para universidades federais, um total de R$ 1.000.943.150. A associação ainda afirmou que o corte atingiu todas as instituições, mas em graus diferentes e sem critério conhecido.

Impacto nas universidades

Nesta semana, a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) anunciou que corre o risco de paralisar as atividades a partir de julho deste ano por falta de verbas.

Em artigo publicado no jornal O Globo, o vice-reitor Carlos Frederico Leão Roch e a reitora Denise Pires de Carvalho escreveram que o funcionamento da universidade se tornaria inviável por conta dos bloqueios de verba anunciados pelo governo federal.

A situação é um pouco melhor na Universidade de Brasília (UnB), mas não menos preocupante. Em nota ao G1, a UnB afirma que tem recurso apenas para custear as despesas obrigatórias, mas que conta com caixa para investimentos zerado, dinheiro que é destinado a pesquisas, por exemplo.

A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) diz que o corte foi de 18,9% em seu orçamento, enquanto a queda foi de 47% para a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).