CNN demite Leandro Narloch por homofobia

Comentarista afirmou que homens gays “têm uma chance muito maior de ter Aids” e, por isso, está fora de todos os telejornais da emissora.

Foto: Observatório da TVLeandro Narloch, na CNN Brasil.
Leandro Narloch, na CNN Brasil.

Fonte: Revista Fórum

O conselho da CNN Brasil decidiu demitir comentarista Leandro Narloch no começo da tarde desta sexta-feira (10), após comentários homofóbicos dele, relacionando homossexual à promiscuidade. Com a decisão, ele fica fora de todos os telejornais da emissora. Ainda não há definição sobre substituto para o posto.

Em debate na CNN Brasil, na quarta (8), sobre a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que permitiu os homossexuais masculinos doarem sangue. Narloch, reforçou os preconceitos que justamente mantiveram a proibição em vigor por tanto tempo.

“A mudança na verdade é pequena, ela vai restringir mais a conduta, e não o tipo de pessoa, a opção sexual do indivíduo. Toda essa polêmica começou porque, não há dúvida disso, os gays, os homens gays, eles têm uma chance muito maior de ter Aids, né?”, disse Narloch.

Confira o comentário na CNN, via Twitter.

Tentou se explicar

Narloch foi muito criticado nas redes sociais após o comentário e ainda tentou se explicar. “Como eu disse, a nova regra de doação é muito boa. Restringe a doação baseada na conduta que aumenta o risco, e não na identidade sexual”, escreveu no Twitter, novamente destacando que a regra também “deixa de ser injusta com gays monogâmicos ou que se protegem”.

No entanto, em sua explicação, Narloch voltou a reafirmar que gays têm mais chance de ter Aids, o que classificou como algo “de conhecimento notório e incontroverso”.

“O que não desmente o fato da prevalência de HIV ser mais alta entre gays. Isso é de conhecimento notório e incontroverso – mudar essa situação é justamente uma das boas bandeiras do movimento LGBT”, afirma.