Cientista social explica como virou diretor de Playboy, revista que tratou a mulher como objeto

Juca Kfouri trabalhou na revista Playboy de 1991 a 1994

Foto: You TubeJuca Kfouri
Juca Kfouri

 

Juca Kfouri trabalhou na revista Playboy de 1991 a 1994 (não se afastando da Placar). A Playboy tinha origem americana mas a editora Abril ganhou o direito de publicá-la aqui no Brasil. O militante clandestino, o cientista social, o progressista Juca Kfouri explica como foi parar numa revista conhecida por tratar a mulher como um objeto.

Ele foi o entrevistado semanal do pensarpiaui. Uma longa entrevista concedida por ele ao portal. Foi 1 hora  e 38 minutos onde Kfouri passou por diversos temas. 

Juca foi, dos tempos de militante clandestino da Aliança Libertadora Nacional (ALN), ao ato "revolucionário" de ser avô. 

Da eleição de 1992 para a prefeitura paulistana onde ele e outros "comunistas" tiveram grande rusga com o PT e, claro, falou do tempo como editor da revista Playboy. Contou histórias sobre Pelé, Carlos Zéfiro - o rei dos quadrinhos eróticos das eras 60 e 70. E, evidentemente, de sua paixão pelo Corinthians sem deixar de eleger o Santos, de Pelé, como o maior time do mundo. Juca falou de tudo isso e muito mais .

Aqui sua atuação frente à Playboy: