Previdência

INSS libera cartão que dá direito a clube de vantagens; saiba emitir

Beneficiários do instituto terão acesso a descontos em shows, cinemas, academias e farmácias


Foto: ReproduçãoMeu INSS
Meu INSS

O Ministério da Previdência Social e o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) liberaram na segunda-feira (22) o  Meu INSS+, clube de vantagens para aposentados, pensionistas e demais beneficiários do instituto.

O cartão virtual, que dá direito a vantagens como descontos em cinemas, shows, academias, farmácias, lojas, viagens e serviços de telemedicina, já pode ser emitido a partir desta segunda-feira. Além de oferecer as vantagens, o cartão também serve como comprovante do benefício, eliminando a necessidade de cartão físico.

Para emitir o cartão virtual pelo celular, basta acessar o aplicativo Meu INSS, disponível para  Android e  iOS , e seguir estes passos:

Na página inicial, clique em "carteira do beneficiário";

Selecione uma foto;

Clique que está ciente de que as informações ficarão disponíveis por código QR e clique em "continuar";

Pronto! O cartão foi emitido e estará disponível das próximas vezes que acessar o aplicativo.

Embora o cartão digital substitua o físico, os beneficiários que preferirem podem ligar na central de atendimento do INSS (número 135) e solicitar a impressão do documento, que precisará ser retirado em uma das agências do INSS.

Clube de vantagens do INSS

As vantagens disponíveis no Meu INSS+ variam de acordo com o banco pelo qual o beneficiário recebe seus pagamentos. Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil oferecerão vantagens diferentes, que serão informadas aos beneficiários.

Depois de consultar os benefícios disponíveis no site do banco, o beneficiário pode usufruir deles apresentando o cartão virtual em farmácias, cinemas, academias e outros estabelecimentos participantes.

O ministro da Previdência, Carlos Lupi, afirmou que o INSS está buscando mais empresas parceiras para, em breve, oferecer novas vantagens no Meu INSS+.

Com informações do IG

Deixe sua opinião: