“Só suor não resolve a situação do forró. Ele precisa de neurônios”, disse Flavio Leandro ao encerrar carreira em shows

O poeta, cantor e compositor Flávio Leandro se despediu ontem das apresentações presenciais, em Parnamirim-PE

Foto: Montagem pensarpiauíFlávio Leandro
Flávio Leandro

O poeta, cantor e compositor Flávio Leandro, da cidade de Bodocó, sertão de Pernambuco, se despediu ontem das apresentações presenciais, em Parnamirim-PE. 

Flávio anunciou a despedida dos palcos em setembro de 2021, em publicação nas redes sociais. Ele continuará compondo e gravando, mas fará apenas um show presencial por ano. 

Após a apresentação em Parnamirim, ele escreveu nas redes sociais: 

Minha gente linda, findamos! Ontem, fizemos nossa última apresentação presencial, em Parnamirim-PE. Foi lindo demais! Estamos em paz, leves, plenos... cientes do dever cumprido, nos palcos. Tudo foi pensado, pesado e medido desde 2013. Até nosso processo de retirada dos shows presenciais foi meticuloso, para que todos nós, Flávio, Cissa, Família, Amigos, Fãs, Banda, Colaboradores, Público, Imprensa, Contratantes e afins, pudessem digerir com calma os amargos que brotam da ruptura de um contato tão lindo e intenso, de vinte e cinco anos. Aliás, não foi fácil conduzir este processo de retirada dos palcos, pois onde eu havia escrito as palavras "respeito e

gratidão

" com todas as pessoas e lugares por onde passamos, muita gente incrédula leu, "jogada de marketing", como se eu fosse esse tipo de ser. Uma pena! Mas chegamos até aqui, e fechamos com sabedoria este passo tão importante para a música popular nordestina. Tenho um orgulho imenso de dizer ao mundo que sou do forró, e sair dos palcos não é abandoná-lo, pelo contrário, é ter a oportunidade de pensar, de estudar por ele. Ser neurônio, onde o suor, sozinho, já não resolve.

Não estamos encerrando nossa carreira, mas ressignificando a caminhada. Faremos um show por ano e continuaremos firmes e fortes nas redes sociais. Compondo, gravando e lançando, com o zelo de sempre, nossas novas criações, que serão muitas... e lindas!

Agradeço de todo meu coração aos que foram pernas onde nossos passos não conseguiriam chegar, em especial à nossa Banda, no colo de quem embalamos os melhores momentos deste cantar, e o fã clube "Flávio Leandro é bom demais", que acreditou em nosso potencial desde o Orkut.

Pedimos desculpas a todos que nossas limitações físicas não conseguiram atender, bem como, aos que em algum momento não tratamos com a cordialidade devida.

Lançaremos vídeos em nosso Canal do Youtube onde explicaremos com mais detalhes o entorno desta decisão. Também faremos algumas láives pelos nossos canais de comunicação e, como já disse, um show presencial por ano, que já tem data marcada, novembro de 2023!

Até lá!

Amamos todos vocês!

A decisão de deixar de realizar shows presenciais não aconteceu de uma hora para outra. Flavio revela que, já em 2013, chegou a anunciar nas redes sociais que em 2020 encerraria sua carreira nos palcos. “Veio a pandemia e nós prolongamos um pouco mais. Quando 2022 chegou, colocamos em prática o que queríamos fazer”, disse Flavio. 

Em 25 anos de carreira, o filho de Teté e Izinha  tem uma trajetória marcada por composições gravadas por grandes nomes da música regional e nacional. Como intérprete, tem seu público fiel e levou multidões aos shows e durante gravações de seus DVD’s. Segundo o autor de músicas conhecidas como “Mala e cuia” e “Chuva de honestidade”, a atitude de deixar de fazer shows presenciais foi vista por alguns como um fator negativo para o forró autêntico. “Algumas pessoas chegaram a pensar que nossa atitude poderia atrapalhar o forró, pelo contrário a ideia é fortalecer o ritmo, através de um pensamento mais introspectivo, mais pleno, levando adiante uma mensagem mais forte”, explicou Flavio

Depois duas décadas e meia de caminhada, 4 milhões de quilômetros percorridos, o filho de Bodocó, que dividiu a carreira entre a arte e o trabalho no serviço público, acredita que deu sua contribuição para o fortalecimento do forró.

“Somente suor não resolve a situação do forró. Hoje, ele precisa principalmente de neurônios”, disse Flavio Leandro

A despedida é apenas dos palcos. “Eu vou produzir muito mais. O cantor sufoca demais o compositor”, disse Flavio.

A partir de agora ele pretende ser um novo projeto de artista, a partir das redes sociais. “Espero pensar mais pelo forró e trazer a juventude que está muito distante disso tudo”, finalizou Flavio Leandro. 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS