Pazuello surta e ataca imprensa durante coletiva do Ministério da Saúde

O ministro-general chegou a relacionar a atuação da imprensa com o suicídio; assista

Foto: TV BrasilGeneral Eduardo Pazuello
General Eduardo Pazuello

Alvo de inúmeras pressões em razão da indefinição quanto ao Plano de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, o ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, aproveitou coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira (07) para atacar profissionais de comunicação. (Veja no vídeo da coletiva abaixo)

“Os meios de comunicação, os senhores e senhoras, comuniquem o fato. Me mostram quando um brasileiro delegou aos redatores a interpretação dos fatos. Me mostrem, eu não fiz. Nós não queremos a interpretação dos senhores, a tendência ideológica ou bandeira”, afirmou.

“Quero assistir a notícia e ver o fato que aconteceu, deixem a interpretação para o povo brasileiro, para cada um de nós. O senhores não tem essa delegação”, completou. Pazuello ainda falou em “desinformação”.

O ministro ainda deu a entender que a imprensa pode provocar o suicídio.“Se cada um interpretar como quer, a desinformação é completa. Numa pandemia, a desinformação e a interpretação equivocada ou tendenciosa leva a consequências trágicas. Leva ao medo, leva à ansiedade, à angústia, podem levar a doenças psiquiátricas, até o suicídio”.

O surto do ministro acontece um dia depois de Pazuello ir em rede nacional falar sobre a compra de insumos para a campanha de vacinação. Na fala, o general não apresentou nenhuma novidade, nem mesmo a data de início da vacinação. Essa informação também não foi trazida nesta quinta-feira, aumentando as incertezas.

“Confiem. Não existe outra solução”, declarou.

Veja a coletiva na íntegra:

CoronaVac

A cobrança veio logo após Pazuello anunciar que irá comprar 100 milhões de doses da CoronaVac, vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa SinoVac em parceria com o Instituto Buntantan. O imunizante teve os resultados de seus testes clínicos apresentados nesta tarde.