O nordeste é muito mais que cangaceiro, coronel, seca e messianismo

O doutor em História Durval Muniz fala sobre a criação do termo "nordeste"

Foto: Montagem pensarpiauíDurval Muniz
Durval Muniz

O nordeste brasileiro é muito mais que cangaceiro, coronel, seca e messianismo. É preciso dar ao conceito “nordeste” um outro conjunto de imagens que represente os tempos atuais. Mas o que levou o “nordeste” a ter esse significado? Que interesses levaram a essa caracterização?

A região tem três das metrópoles brasileiras e 70% de sua população mora em cidades. O nordeste não é rural. Por que os símbolos nordestinos sempre remetem aquele outro “nordeste”? 

Em entrevista ao pensarpiauí, este raciocínio e as respostas quem esclarece é Durval Muniz de Albuquerque, Prof. Dr. em História e autor do livro: “A invenção do Nordeste e Outras Artes”. 

Acompanhe a íntegra da entrevista: