Ney Matogrosso: Brasil de hoje é mais conservador do que na ditadura

O cantor também afirma que a sua vida desmente as acusações de que não carregue as bandeiras do movimento LGBT

Foto: DivulgaçãoNey Matogrosso
Ney Matogrosso

Fórum - O cantor Ney Matogrosso, que durante o a Ditadura militar no Brasil (1964-1985) esbanjava androginia à frente do Secos & Molhados, declarou que o Brasil de hoje “é muito mais conservador”.

“Por incrível que pareça, no auge da ditadura militar, as pessoas iam para a praia de microssungas. As mulheres usavam quase nada. Além disso, a pobreza e a miséria no país atualmente são assustadoras. Me dá vontade de chorar”, disse o cantor.

Ao ser questionado sobre a profusão de artistas brasileiros andróginos e que se declaram não-binários, Ney Matogrosso, ao refletir sobre, afirma que sempre foi não-binário “sem saber”.

“Eu gosto de ser do sexo masculino, mas isso não me impede ou me restringe em nada. Acho meio difícil de entender esse movimento. Significa que eu posso ir para qualquer lado? Quer dizer, eu posso ir para um lado agora e daqui a pouquinho para outro? É isso? Se for isso, então eu sempre fui isso sem saber”.

O artista também foi questionado sobre o fato de ter declarado que “não queria levantar bandeiras da causa LGBT.

“Quando eu me refiro a isso, estou falando da época do Secos & Molhados. Seria muito conveniente para o sistema, naqueles tempos, que eu me dissesse gay, e ponto. Talvez eu seja, até hoje, o artista que mais claramente expressou suas colocações sexuais. Minha vida desmente tudo isso aí”.