Lula cede e Jaques Wagner não deve mais ser candidato a governador da Bahia

A possibilidade, cada vez mais concreta, já havia sido adiantada pelo "Blog do Rovai", no dia 15 de fevereiro

Foto: ReproduçãoLula e Jaques Wagner
Lula e Jaques Wagner

 

O ex-presidente Lula (PT) gostaria de manter a candidatura de Jaques Wagner (PT) ao governo da Bahia. Porém, como o senador avisou à bancada do PT que não deseja disputar a eleição este ano, Lula deu aval, nessa sexta-feira (25), para o senador Otto Alencar (PSD) concorrer ao cargo.

A possibilidade havia sido adiantada pelo Blog do Rovai, no dia 15 de fevereiro. “Após ser discutida, nos bastidores, uma possível retirada da candidatura de Jaques Wagner (PT) ao governo da Bahia, o senador foi às redes sociais para informar que, depois de reunião com Lula, decidiu manter seu nome na disputa”, informou o blog.

As informações àquela altura davam conta que “nos últimos dias, se cogitou a ideia de que Wagner abriria mão de se candidatar ao governo para que o seu colega de Senado, Otto Alencar (PSD), entrasse na disputa. E, ao mesmo tempo, para que o atual governador Rui Costa (PT) disputasse o Senado na vaga de Otto. Especulava-se, também, que esse arranjo faria parte de um acordo para Lula conquistar apoios e vencer a eleição à presidência já no primeiro turno”.

Na ocasião, Wagner, após reunião com correligionários e aliados, informou que sua pré-candidatura ao governo da Bahia estava mantida.

Entretanto, ao que tudo indica, o cenário mudou. Lula declarou que Alencar pode ser candidato ao que quiser que terá o seu apoio. Mas o senador do PSD enfrenta resistência dentro da bancada do PT, que teria rachado depois da desistência de Wagner e de Rui Costa resolver ser candidato ao Senado.

Por enquanto, Otto Alencar nega que já exista uma definição em relação a seu nome para o governo baiano

“Minha candidatura ao Senado está mantida. Nunca disse que sou candidato a governador. Nem Wagner disse que não será candidato”, afirmou o senado do PSD, em entrevista à Folha de S.Paulo, nessa sexta.

A avaliação de parlamentares do PT é que, caso se confirme esse quadro, a nova situação pode ocasionar a derrota do PT no estado baiano e o avanço do ex-prefeito de Salvador, ACM Neto (União Brasil).

ÚLTIMAS NOTÍCIAS