Justiça mantém prisão de homem que ameaçou Lula e ministros do STF

Ivan Rejane Fonte Boa Pinto, 46 anos, ou Ivan Papo Reto, foi preso por determinação do ministro Alexandre de Moraes, em Belo Horizonte

Foto: ReproduçãoIvan Rejane Fonte Boa Pinto, 46 anos
Ivan Rejane Fonte Boa Pinto, 46 anos

 

A Justiça decidiu, neste sábado (23/7), manter a prisão do personal trainer Ivan Rejane Fonta Pinto. Ele está detido desde sexta-feira (22/7) por ameaçar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), integrantes do Supremo Tribunal Federal (STF) e políticos de esquerda.

O decreto de prisão expedido foi assinado pelo ministro Alexandre de Moraes, após pedido da Polícia Federal. O magistrado também enviou um mandado de busca e apreensão na residência do suspeito e determinou o envio de ofício para o Twitter, YouTube e Facebook, bem como intimação ao Telegram, solicitando o bloqueio das redes sociais do suspeito.

A ação foi motivada por um vídeo compartilhado nas redes sociais em que o homem faz ameaças a Lula, Gleisi Hoffmann (PT) e Marcelo Freixo (PSB). “Anda de segurança armada na rua que nós, da direita, vamos começar a caçar você [Lula]. Caçar você, caçar Gleisi Hoffmann, esse Freixo, frouxo do caralho. Todos eles que te cercam, vagabundo.”

A permanência da prisão foi determinada em uma audiência de custódia presidida pelo desembargador Airton Vieira, magistrado que atua no gabinete do ministro Alexandre de Moraes. Questionado, Ivan relatou que está sozinho em uma cela da enfermaria do presídio e que está sendo bem tratado.

“Estou sozinho em uma cela na enfermaria do presídio, pois o diretor da penitenciária achou mais prudente, já que tenho um canal na internet por meio do qual me pronuncio contra o uso das drogas, inclusive com uso de violência pelas forças policiais, o que causa animosidade com os demais presos, inclusive em razão da repercussão da minha prisão”, afirmou durante a audiência.

A advogada de Ivan Pinto, Amanda Rodrigues Alves, informou que vai apresentar à Corte pedidos de revogação e relaxamento da prisão.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS