Fagundes: Acabar com a Cultura, é uma proposta coerente com quem acaba com o meio ambiente, a saúde, a educação, a economia

Ele diz ter raiva de atores liderando a Secretaria Especial de Cultura

Foto: Tribuna OnLineAntônio Fagundes
Antônio Fagundes

Em entrevista, o ator deu sua opinião sobre questionamentos acerca da pasta da cultura no país.

Como enxerga atores liderando a Secretaria Especial de Cultura do governo Bolsonaro, primeiro Regina Duarte e depois Mário Frias?  

Tenho pena de atores que aceitam esse tipo de coisa. Eles não têm a menor noção de como funciona aquilo ali. Não é uma novela, é um circo com regras próprias. E dependendo do governo, as regras são mais loucas ainda. Agora, não tenho pena não de quem aceita trabalhar neste governo atual. Tenho até um pouco de raiva. A única proposta que temos visto nesses quase dois anos desta secretaria é a de acabar com a Cultura, uma proposta de desmanche, bastante coerente com a filosofia do governo que está desmanchando o meio ambiente, a saúde, a educação, e está quase desmanchando a economia também.

Houve algum acontecimento ou medida em especial que te deixou mais inconformado nos últimos tempos? 

Acho que é o conjunto, já vinha de antes da pandemia e agora se exacerbou. Começaram a fazer uma campanha de que os artistas mamavam nas tetas do governo. Você já percebia aí uma coisa de mau-caratismo. Eles eram contra a Lei Rouanet. Todo o patrimônio histórico brasileiro está sendo dilapidado, as sinfônicas não estão podendo sobreviver, calaram os circos. E espere: vão destruir também o cinema.

Com informações do Estadão