Com 3,5 mil escolas inacabadas, governo dá aval para construir mais 2 mil

O projeto não tem recursos previstos no orçamento

Foto: EstadãoEscola
Escola

 

O Brasil tem hoje cerca de 3,5 mil escolas com obras sem previsão de conclusão. No entanto, há cerca de seis meses para as eleições, o governo federal, através do Ministério da Educação, autorizou a construção de mais duas mil novas unidades. A verba necessária para construção das escolas será de R$ 5,9 bilhões.

O projeto não tem recursos previstos no orçamento, o que deverá aumentar o número de obras não entregues pela gestão Bolsonaro. No entanto, os projetos já começaram a ser anunciados por deputados e senadores.

O esquema faz parte do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). O fundo precisaria de uma destinação de recursos em torno de R$ 5,9 bilhões para construção das unidades.

O governo fere as leis orçamentárias ao priorizar obras novas ao invés de inacabadas, além de ter, hoje, recursos insuficientes para o desenvolvimento do projeto. Se mantido o orçamento previsto, as obras levariam 51 anos para serem concluídas.

Com apenas oito meses para o fim do mandato, foram liberados apenas 3,8% dos recursos previstos para a construção de 2 mil escolas e creches, outras 560 receberam apenas 1% dos valores.

O fundo tem, neste ano, R$ 114 milhões de recursos próprios. Além do custo elevado para a construção, o governo precisaria de mais R$ 1,7 bilhão para conclusão das outras 3,5 mil que estão inacabadas.