Cadu Barcello, ex-Porta dos Fundos, é assassinado no Rio

Ele foi atacado na esquina da Avenida Presidente Vargas com a Rua Uruguaiana, no Centro

Foto: Correio BrazilienseCadu Barcellos
Cadu Barcellos

Do G1:

O cineasta Cadu Barcellos, de 34 anos, foi morto a facadas na madrugada desta terça-feira (10) no Rio. Ele foi atacado na esquina da Avenida Presidente Vargas com a Rua Uruguaiana, no Centro.

Carlos Eduardo Barcellos Sabino foi codiretor do longa “Cinco vezes favela — agora por nós mesmos” e fez trabalhos para a televisão e para a internet. Segundo o amigo William Oliveira, “Cadu foi assassinado possivelmente por conta de um celular, um Riocard e um punhado de reais”.

Cadu havia saído da Pedra do Sal, no Santo Cristo, de carona em um carro de aplicativo com uma amiga, que seguia para a Zona Sul, e desembarcou alguns quilômetros depois, no Centro. Perto de uma saída do metrô, foi rendido. O cineasta chegou a ser visto gritando por socorro por volta das 3h30, mas caiu alguns metros à frente e morreu no local.

O G1 entrou em contato com a Polícia Civil, mas até a última atualização desta reportagem não havia resposta. A PM confirmou a morte e disse que encaminhou o caso à Delegacia de Homicídios. Ele deixou a esposa e um filho de 2 anos. Por volta das 7h, o corpo dele estava no Instituto Médico-Legal (IML), no Centro.

O humorista Gregorio Duvivier lamentou nas redes o falecimento do cineasta Cadu Barcellos: “Assassinaram um amigo, um parceiro de trabalho, uma das melhores pessoas que eu já conheci na vida”, diz Duvivier no Twitter. “Um ser humano bom. Brilhante. Família. A morte do Cadu Barcellos deixa um buraco do tamanho do mundo”, lamenta.

(…)