Bolsonaro diz que 'rachadinha' é comum

Afirma que poucos escapam de acusação que atinge seu filho Flávio e que não falará sobre si

Foto: Reprodução/InstagramQueiroz e Flávio Bolsonaro
Queiroz e Flávio Bolsonaro

Em entrevista neste sábado (13) ao canal Cara a Tapa, no Youtube, Jair Bolsonaro (PL) afirmou que o esquema de corrupção conhecido como "rachadinha" - que foi alvo de investigação em gabinetes dos filhos Flávio e Carlos - é "prática meio comum" entre os políticos.

"É uma prática meio comum, concordo contigo. É meio comum. Não só no Legislativo, não. Também no Executivo. Até no outro Poder também. Cargo de comissão, você pode colocar quem você bem entender", disse o presidente.

Bolsonaro disse ainda que "sobra pouca gente" na política que não cometeu rachadinha, mas esquivou-se de falar se participou ou não do esquema de corrupção.

"Não vou falar de mim. Sou suspeito para falar de mim. Você não tem servidor meu falando que, denunciando...", desconversou.

O presidente ainda fez coro com o amigo, Fabrício Queiroz (PTB-RJ), que seria o operador do esquema no gabinete de Flávio Bolsonaro (PL-RJ) na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro e já afirmou que as rachadinhas seriam feitas para que fosse possível contratar mais gente do que o limite de cargos comissionados permitidos por lei.

"Muitas vezes o cara faz isso para poder pagar mais gente. Você pode ver...Quando cheguei em Brasília, você podia botar até 15 assessores, mais ou menos. O tempo foi passando, até eu sair em 2018, eram 25. Qual a intenção? Evitar isso daí", afirmou.

Com informações do Yahoo e Forum 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS