Artistas de Teresina realizam ato de manifesto pelo resgate da Lei A. Tito Filho

Lei concede incentivo fiscal para a realização de projetos culturais

Foto: DivulgaçãoAto público
Ato público

Um grupo de artistas de Teresina realizou ontem (12) um ato de protesto na Avenida Frei Serafim e assinou um manifesto pelo resgate da Lei A. Tito Filho, que consiste na concessão de incentivo fiscal para a realização de Projetos Culturais. O ato foi ao redor da estátua do ex-prefeito Wall Ferraz, criador da lei.

No manifesto, os artistas fazem apelo aos candidatos a prefeito da capital: “Senhores candidatos e candidatas, para que tudo isso continue é preciso assegurar mecanismos de investimento na área cultural, como forma não só de sustentabilidade de nossa arte, mas também de descobrir novos talentos e valores nos diversos campos da Cultura. Por isso, através desse manifesto, estamos reivindicando a qualquer um de Vossas Senhorias que seja eleito a prefeito de Teresina, o compromisso de restabelecer o Projeto Cultural A.Tito Filho, a Lei A. Tito Filho, da Prefeitura de Teresina, criada pelo saudoso professor Wall Ferraz, quando prefeito de nossa capital”.

O documento cita que no período em que a administração municipal garantiu a sua efetividade, a Lei A. Tito Filho propiciou a realização de inúmeros eventos culturais. Dezenas de livros foram lançados; peças teatrais foram encenadas; filmes foram produzidos; festivais de música e dança realizados. No entanto, há 12 anos, após modificações introduzidas pela administração municipal, a lei está parada, seus objetivos originais esquecidos, causando enorme prejuízo ao desenvolvimento cultural da cidade.

“Portanto, senhoras candidatas e senhores candidatos, é preciso assegurar políticas públicas de Cultura, de forma duradoura e consequente, preservando o nosso patrimônio material e imaterial, resgatando o plano editorial do município de Teresina, além de um olhar atento para as áreas de cinema e vídeo, artes plásticas e cultura popular, há muito tempo relegadas pelo poder público municipal”.

Participaram do manifesto: Airton Martins, ator e produtor; Durvalino Couto, jornalista e poeta; Soraya Guimarães, produtora; Luiz Sá, produtor e educador musical; Mariano Gomes, ator e educador; Wellington Soares, escritor e professor; Arimatan Martins, diretor teatral; Fernando Freitas, ator e coreógrafo; Giovanni Costa , produtor; Elton Arruda, professor; e o dramaturgo Ací Campelo, que liderou o movimento.