Sociólogo, Professor aposentado da UFPI

Antonio José Medeiros

Sociólogo, Professor aposentado da UFPI

A participação de Dona Rosa - quase anônima - é a mais bela marca do PT, na história politica do Brasil, do Piauí e de Piripiri

Foto: AJMDona Rosa
Dona Rosa

Estou de luto com a familia e companheiros(as) do PT de Piripiri. Faleceu a DONA ROSA, viúva de Seu SALVADOR, fundador do PT no município.

Tinha 106 anos. Eu a visitei há dois anos atrás. Cega, mas, lúcida e com uma memória privilegiada. 

Recordou-se do aperreio que passou há 40 anos atrás, quando cheguei a noite na casa dela com Seu Salvador. E ele foi logo dizendo: "o Antonio Jose vai dormir aqui e prepara  alguma coisa pra gente comer que tamos com fome". E dona Rosa lembrou: ainda bem que tinha uns ovos e tomate para acompanhar o arroz. Fui no canteiro e peguei também uma cebola verde.  Não  sabe ela que a cebola dá um gosto incomparável à comida.

Seu Salvador tinha mais de 60 anos em 1980. O presidente do STR mobilizou uma reunião mas tinha nos avisado que não podia ficar no PT porque já tinha compromisso com  um dos chefes  politicos locais. No final, perguntamos quem queria compor a Comissão Provisória.  Seu Salvador, que nem eu nem o Ribamar Santos conhecíamos, se apresentou: eu fico! E começamos com uma comissão  incompleta. 

Ele mobilizou a familia: seu filho, Joao Salvador, no Caldeirão; seu sobrinho Joaquim, noutra comunidade rural (Macambira?) e sua filha Cândida na cidade, no bairro Bela Vista, periferia, "depois do trilho". Vieram depois as freiras com Irmã Rosimar à frente; os frades nao se envolviam, eram alemães.  Vieram os professores, à  frente a Das Dores e o Luis Mário.  Lideranças populares como Sr. Morais. O Simplício Mário se engajou através da luta sindical dos bancários  e contribuiu bastante. Foi deputado federal. 

E vieram os muitos outros companheiros e companheiras  ainda  hoje na luta.

Seu Salvador era "positivo". Gostava de dizer: "desse jeito aí eu não  estou gostando". Nos papos de fim da noite em nossos encontros estaduais em Teresina, contava  sobre as visagens nas suas caminhadas de noite nas veredas, inclusive de afogados no Cadeirão, cujos corpos ele ajudava a resgatar, mergulhando mais de hora. Tinha o fôlego bom.
Um homem serio, íntegro e tinha uma "intuição de classe" que dispensava teorias. "Não  tenho mais idade para esses cursos. Ajudo a organizar . Mas não se preocupe, eu sei muito bem o que é o PT ".

Dona Rosa sempre solícita. No inicio, reclamava das coisas que Seu Salvador inventava. Depois se tornou uma petista ardorosa.

Dona Rosa, esse trabalho do Seu Salvador e sua participação  quase anônima  são a mais bela marca do PT, na história politica do Brasil, do Piaui e de Piripiri. Essa marca deve ser não só uma lembranca, mas uma herança.

Dona ROSA presente! Na história e no mistério  da transcendência . Sempre na paz!

OBS: Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do pensarpiaui.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS