Política

Empresa investigada por pagar contas de Michelle movimentou R$ 32,2 milhões

Segundo a PF, a madeireira Cedro do Líbano fez repasses a auxiliar de Mauro Cid


Foto: ReproduçãoMichelle Bolsonaro
Michelle Bolsonaro

O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) identificou uma movimentação de 32 milhões de reais entre janeiro de 2020 e abril de 2023 nas contas da empresa Cedro do Líbano Comércio de Madeira e Materiais para Construção, suspeita de financiar despesas pessoas da ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro. 

“Chama atenção a aparente incompatibilidade entre o porte / estrutura, vis à vis o volume transacionado a crédito no período analisado, o que supostamente pode demonstrar que cliente esteja utilizando a conta para transacionar recursos provenientes de atividades não declarada”, diz o relatório do Coaf sobre a empresa.

O Coaf aponta que a Cedro do Líbano fez ao menos duas transferência de R$ 8.330,00 ao sargento do Exército Luís Marcos Dos Reis, que atuava com o tenente-coronel Mauro Cid na Ajudância de Ordens de Jair Bolsonaro (PL) na Presidência da República. Os dois militares estão presos.

Reis afirmou que repassou o dinheiro a pessoas indicadas por assessoras de Michelle, entre elas a tia da ex-primeira-dama, Maria Graces de Moraes Braga, para quem o assessor fez 12 depósitos em espécie.

O militar também fez três depósitos para Rosimary Cardoso Cordeiro, responsável por emitir um cartão de crédito utilizado por Michelle.

As investigações mostram ainda que Luis Marcos dos Reis também recebeu dinheiro do pai de uma das sócias da empresa. 

"A soma das transações a crédito para a conta de Luís Marcos dos Reis é R$ 101 mil. As transações com débito da conta do investigado totalizaram R$ 69 mil", diz a PF ao apontar um saldo de R$ 32 mil positivo para o assessor de Bolsonaro nas transações com a Cedro.

"Tais transações se tornam ainda mais incompreensíveis se considerarmos o fato de Luís Marcos Dos Reis ser servidor público, sargento do Exército Brasileiro, lotado até julho de 2022 na Ajudância de Ordens da Presidência da República", diz a PF.

Com informações da Forum

Deixe sua opinião: