Esportes

Albertão 50 anos: estádio marca histórias e se prepara para revitalização

Processo de parceria para modernização do “Gigante da Redenção” está em andamento, sob coordenação da Secretaria dos Esportes


Foto: DivulgaçãoAlbertão
Albertão

 

O estádio Governador Alberto Tavares Silva, ou simplesmente Albertão, completa 50 anos neste sábado, 26 de agosto. Com meio século de muitas histórias entrelaçadas com as histórias de vida dos piauienses, o gigante da Redenção, como é carinhosamente chamado pelos amantes do futebol, merece todas as homenagens.

Inaugurado em 1973, o Albertão está entre os dez maiores estádios de futebol do Brasil e, atualmente, tem capacidade para 54 mil torcedores, segundo Numeriano Sá Filho, funcionário do estádio há 49 anos. Numeriano conta que o auge do Albertão e do futebol no estado aconteceu durante a década de 1970. “Pela primeira vez o Piauí participando de um campeonato nacional de clubes e logo depois veio a seleção brasileira jogando contra o Paraguai, Argentina e Lituânia. Além de grandes clássicos do futebol no campeonato brasileiro”, disse.

Foto: CCOMNumeriano Sá Filho
Numeriano Sá Filho

 

Para Ellen Samara, torcedora do River Esporte Clube, o Albertão foi amor à primeira vista. “A primeira vez que fui ao Albertão foi há 9 anos, na final do campeonato piauiense em 2014, entre River e Piaui. Eu só via na tv e eu queria viver aquela emoção. E me apaixonei pelo estádio e nunca mais parei de frequentar. Hoje faço parte da torcida River Chopp e o Albertão faz parte da minha história”.

Foto: CCOMEllen Samara
Ellen Samara

 

Já a relação do ex-jogador e técnico de futebol, Eduardo dos Santos, um dos grandes nomes do futebol piauiense, começou com seu pai, jogador amador, relatava a emoção de jogar no grande estádio quando as finais dos campeonatos intermunicipais aconteciam no Albertão. Eduardo jogou em times como o Flamengo do Piauí, Altos, River, Joinville, Fortaleza, Grasshopper (Suíça), Guingamp e Lens (França). Hoje, Eduardo é treinador do Fluminense do Piauí.

Foto: CCOMEduardo dos Santos
Eduardo dos Santos

 

“Eu sempre tive esse sonho de jogar no gramado do Albertão e graças a Deus consegui. A primeira vez que estive no Albertão foi em 1996 para assistir à partida Brasil e Lituânia, 3 x 0 para o Brasil. Jogo emocionante, estádio lotado e torcida vibrando. Tive o prazer de ver o Ronaldinho em campo fazendo um dos gols mais bonitos da carreira dele. Dois anos depois, em 1998, eu passei de torcedor para jogador profissional e tive o grande prazer de jogar nesse belo gramado como atleta do River”, relata o esportista.

O processo de revitalização do Albertão

À frente da Secretaria dos Esportes do Piauí, a secretária Josiene Campelo fala dos planos do governo do estado para o Albertão, que está passando por um processo de Parceria Público Privada, com um cronograma de trabalho dividido em duas etapas.

“A primeira etapa é de planejamento e preparação, onde compartilhamos informações e documentos e aprovação do plano de trabalho, que já foi concluída. Estamos na segunda etapa com o MIP (Manifestação de Interesse Privado), um instrumento jurídico em que se estabelece uma relação colaborativa entre a Administração Pública e a iniciativa privada, para o desenvolvimento e apresentação de projetos, levantamentos, investigações ou estudos. No nosso caso, de estruturação dos estudos de engenharia, econômico-financeiro, ambiental e jurídico”, explica a secretária.

Foto: CCOMJosiene Campelo
Josiene Campelo

 

Segundo Josiene, esses estudos determinarão o investimento inicial por parte da empresa vencedora da licitação. Os valores envolvidos serão mensurados a partir dos levantamentos que estão sendo realizados pela secretaria dos Esportes e pela Superintendência de Parcerias (Suparc). “A previsão é que a gente lance a licitação agora no mês de setembro. Depois de licitada a obra, a gente acredita que até o final do ano de 2023 teremos o termo de parceria assinado e começar as reformas no início do ano que vem, 2024”, disse Josiene Campelo.

Deixe sua opinião: