Pensar Piauí

Vídeo: Malafaia entra na mira da PF após discurso golpista

O discurso do pastor bolsonarista desagradou até aliados.

Foto: ReproduçãoMalafaia atacou STF, TSE e Moraes na Paulista e diz não ter medo de ser preso
Malafaia atacou STF, TSE e Moraes na Paulista e diz não ter medo de ser preso

 

A Polícia Federal está considerando incluir o pastor Silas Malafaia no rol de investigados da Operação Tempus Veritatis, inquérito que apura a possível trama golpista envolvendo Jair Bolsonaro (PL), membros de seu governo e militares para impedir a posse de Lula (PT), eleito presidente em 2022. 

Segundo avaliação de agentes federais, o pastor pode ser investigado por tentar obstruir o andamento do inquérito relacionado à tentativa de golpe de Estado. Os investigadores acreditam que, por meio do financiamento do ato na Avenida Paulista e de seus discursos, Malafaia teria disseminado desinformação para parte da população, com o intuito de incitá-la contra a investigação de uma suposta organização criminosa envolvida em um golpe de Estado. 

A Polícia Federal suspeita ainda que Malafaia tenha incentivado os presentes a se oporem a membros do Poder Judiciário com base em premissas falsas. 

Durante seu discurso, o pastor acusou a Justiça Eleitoral de tratar Lula e Bolsonaro de maneira diferente durante a campanha de 2022 e questionou a imparcialidade de Alexandre de Moraes, ministro do Supremo Tribunal Federal, chamando-o de “ditador toga”. 

“Alexandre de Moraes diz que a extrema-direita precisa ser combatida na América Latina. Como o ministro do STF tem lado? Ele não tem que combater nem a extrema-direita nem a extrema-esquerda. Ele é guardião da Constituição. O presidente do STF, ministro Barroso, disse ‘nós derrotamos o bolsonarismo’. Isso é uma afronta, uma vergonha”, disse durante o ato.

Veja o vídeo:


Malafaia também sugeriu que Lula soubesse com antecedência dos atos golpistas promovidos por bolsonaristas em Brasília no dia 8 de janeiro. O líder evangélico, no entanto, não apresentou provas de sua teoria. “Mas eu tenho algumas perguntas para fazer: primeiro, por que Lula saiu às pressas de Brasília e foi para Araraquara (a enchente em Araraquara ocorreu no dia 28 de dezembro, 10 dias antes)? Ele foi avisado que ia ter baderna?”, afirmou o religioso. 

Em resposta às possíveis acusações, Malafaia desafiou as autoridades apontarem onde teria mentido, destacando que não fez ataques diretos ao ministro do STF nem pedidos de impeachment ou prisão. “Desafio dizerem onde eu menti. Não chamei o Alexandre de ditador da toga, não pedi o impeachment dele, nem disse que ele tem que ser preso”, afirmou à coluna de Igor Gadelha no Metrópoles. 

O pastor bolsonarista também criticou o afastamento de governadores e fez xingamentos aliados, ressaltando sua discordância com suas ações. “Cambada de frouxos, covardes e X9. São caras que estão ali, mas não estarão ali. Eles desceram porque são frouxos. Deixo aqui o registro do meu respeito ao Tarcísio, porque não compactuou com a molecagem”, discursou.

Com informações do DCM

ÚLTIMAS NOTÍCIAS