Prova de vida do INSS será digital e voltará a ser obrigatória

Aplicativo do governo federal poderá ser usado para atualizar as informações de 5,3 milhões de aposentados e pensionistas

Foto: Governo FederalINSS
INSS

 

O governo federal prorrogou por mais 60 dias a suspenção de prova de vida de beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). A partir de maio, segundo o órgão, o protocolo voltará a ser obrigatório.

Com a pandemia de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, a exigência ficou suspensa. Agora, todo o processo será feito por um aplicativo. Antes, o aposentado ou pensionista, por exemplo, tinha que comparecer presencialmente ao banco em que recebe o benefício e apresentar um documento de identificação com foto.

Nesta terça-feira (23/2), o INSS detalhou como a prova de vida será feita. Pelo aplicativo Meu INSS, o beneficiário será avisado da necessidade de fazer a prova de vida e será direcionado ao aplicativo Meu Gov.Br, para a atualização das informações.

O processo usará a biometria facial. O INSS usará a base de dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Em funcionamento

O novo modelo já está funcionando. O projeto piloto foi testado com 500 mil beneficiários. Agora, valerá para 5,3 milhões de pessoas. A prova de vida presencialmente nos bancos continua sendo permitida.

O processo foi desenvolvido pela Dataprev, Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) e INSS.

Com informações da Previdência Social