No Ceará, adolescente trans de apenas 13 anos é brutalmente assassinada

A menina Keron Ravach, que sonhava em ser digital influencer, faria 14 anos no dia 28 deste mês

Foto: Arquivo pessoalVítima de espancamento tinha apenas 13 anos de idade
Vítima de espancamento tinha apenas 13 anos de idade

Keron Ravach, uma menina trans de apenas 13 anos, foi brutalmente assassinada no município de Camocim, a 355 km de Fortaleza, Ceará. O crime aconteceu na madrugada de segunda-feira (4/1). Ela foi espancada até a morte com pauladas e socos.

O responsável pelo assassinato é um adolescente de 17 anos, que confessou ter matado Keron depois de ter tido um desentendimento a respeito do valor de um programa.

De acordo com o delegado encarregado da investigação, Herbert Ponte, o garoto que confessou o crime contou que havia negociado um programa sexual com Keron, mas que no momento do pagamento os dois se desentenderam, e por conta disso ele a matou. As informações são do jornal O Dia.

O assassino se apresentou à polícia 12 horas após o crime, e se condenado, responderá por homicídio.

Keron era tímida, mas tinha o sonho de ser conhecida e se tornar uma digital influencer, afirmaram os amigos da garota. Ela estava passando por um processo de transição de gênero. O corpo dela foi encontrado em um terreno baldio .

Em uma postagem no Twitter, a Associação Nacional de Travestis e Transexuais lamentou o crime afirmando que mais uma vida trans foi perdida prematuramente em função ódio e da transfobia.

A escola que a adolescente estudava também prestou condolências, se referindo a Keron pelo nome de nascimento, Cosme de Carvalho. Em uma publicação no Instagram a Escola de Ensino Fundamental Francisco Ottoni Coelho disse que a morte dela é um momento de dor e indignação.

Dados da ONG Transgender Europe (TGEu) de 2016, mostraram que o Brasil é o quarto pais da lista de países que mais matam pessoas transgênero no mundo, foram 868 travestis e transexuais nos últimos oito anos.