“Me expressei mal”: Xuxa pede desculpas após fala nazista e racista

Apresentadora usou seu perfil no Twitter para reconhecer os problemas de sua fala e confessou ter pensado em "estupradores de crianças"

Foto: Redes SociaisXuxa Meneghel
Xuxa Meneghel

A apresentadora Xuxa Meneghel voltou ao topo da lista de assuntos mais comentados nas redes sociais nessa sexta-feira (26/3). Porém, por um motivo nada louvável. A eterna rainha dos baixinhos foi alvo de críticas após sugerir, em live, que presidiários deveriam ser utilizados para testes de remédios e vacinas para, segundo ela, “servirem para alguma coisa antes de morrer”. Sua declaração foi considerada nazista e racista. 

Depois da péssima repercussão da fala, a famosa surpreendeu os internautas com um vídeo de pedido de desculpas publicado no Twitter, às 2h da madrugada deste sábado (27/3).“Resolvi falar com vocês antes de dormir”, frisou Xuxa.

Após ler no Facebook texto de Anderson França, Xuxa admitiu que errou em sua declaração sobre o uso de presidiários para testes científicos:“Eu estou aqui pedindo desculpas para todos vocês. Eu, que não usei as palavras corretas. Pensei uma coisa, pensei em muitas coisas….Quis falar sobre muitos assuntos, e não fugir do assunto principal, que era dos animais, dos maus-tratos e de pessoas que fazem muitas coisas maltratando vidas. E também julguei, também maltratei”, afirmou a apresentadora.

Acusada de racismo por internautas que argumentam que a maioria da população carcerária é composta por pessoas negras, Xuxa garantiu não ter pensado sobre a desigualdade racial.“Algumas pessoas usaram a expressão, que eu fui falando sobre raças, sobre negros, sobre presidiários negros e pobres. Mas não me passou nada disso pela cabeça. O que me passou foi uma pessoa que estupra uma criança, que fica anos em um presídio e poderia pensar em ajudar as pessoas de outras maneiras. É errado? é errado. Me expressei mal?, me expressei mal”, completou.

Xuxa terminou o pedido de desculpas reconhecendo que o Brasil possui sistemas judiciário e carcerário falhos e que ela não deve julgar as pessoas que cumprem suas penas. "Quem sou eu para dizer que essas pessoas estão ali e que devem ficar ali ou morrer ali. Quem sou eu para fazer isso? E, se eu faço isso, estou sendo tão ruim quanto as outras pessoas que também maltratam vidas e não deveriam fazer isso. Para todos vocês que me julgaram, ou pré-julgaram, e julgaram certo, eu estou aqui pedindo desculpas”, conclui.

Veja o vídeo completo:

Pensamento reacionário e típico de demonização do 'pessoal dos direitos humanos'

247- O historiador Jones Manoel criticou o posicionamento de Xuxa Meneghel, após a apresentadora defender testes de remédios e vacinas em pessoas presas, que seriam usadas como cobaias e, pois, de acordo com ela, ao menos "serviriam para alguma coisa antes de morrer".

O estudioso afirmou que a declaração de Xuxa é "típica do pensamento reacionário, de demonização do 'pessoal dos direitos humanos'". "Parece uma típica fala genérica para limpar a imagem sem qualquer reflexão real sobre as raízes, sentidos e significados da fala", escreveu ele no Twitter.