Pensar Piauí

Lula fala de operação contra Bolsonaro: “Que seja investigado e apurado”

Presidente diz desejar a Bolsonaro “presunção de inocência que eu não tive”.

Foto: Marcelo Camargo/Agência BrasilPresidente Lula (PT)
Presidente Lula (PT)

 

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou, nesta quinta-feira (8/2), que deseja que o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) tenha o direito a “presunção de inocência”. Ao contrário, ainda segundo o petista, de como ele foi tratado nas investigações da Lava Jato.

“Não quero fazer julgamento do que pode acontecer na Justiça brasileira. O que eu quero é que o ‘seu’ Bolsonaro tenha presunção de inocência que eu não tive. O que eu quero é que seja investigado e apurado. Quem tiver responsabilidade pelos seus erros que pague”, disse.

Na manhã desta quinta, a Polícia Federal deflagrou a Operação Tempus Veritatis, para apurar organização criminosa que atuou na tentativa de golpe de Estado e abolição do Estado Democrático de Direito. Bolsonaro recebeu 24 horas para entregar seu passaporte à Justiça.

A declaração do petista foi dada durante entrevista à Rádio Itatiaia, em Belo Horizonte, Minas Gerais, na primeira vez que Lula vai ao estado desde que venceu as eleições presidenciais de 2022.

Bolsonaro está impedido de concorrer a qualquer cargo eletivo por oito anos, a contar de 2022, por abuso de poder político. Ele foi condenado, em junho de 2023, pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).


Trump e bolsonarismo

Ao ser perguntado se uma possível vitória do republicano Donald Trump nas eleições presidenciais dos Estados Unidos (EUA) poderia fortalecer o bolsonarismo, Lula disse que as Eleições dos EUA não vão influenciar as questões domésticas do Brasil.

“Sinceramente não acredito que a eleição do Trump venha ter influência na eleição brasileira porque nunca teve. Acho que o Trump é uma questão americana, é a loucura americana. O outro [Bolsonaro] foi a loucura aqui”, brincou o petista.

Lula reforçou que foi “eleito para governar” e revelou que não fica pensando no que aconteceu em 2022, “quando se gastou quase US$ 60 bilhões no dinheiro público para tentar evitar que eu ganhasse as eleições”.

Veja mais detalhes em: Bolsonaro é alvo da PF e terá que entregar passaporte


Com informações da Rádio Itatiaia e Metrópoles

ÚLTIMAS NOTÍCIAS