Lagoas do Norte: depois das benfeitorias, a expulsão de quem lá vivia

Liderança faz vídeo relatando problemas

Foto: Google ImagensMoradores perguntam: Lagoas do Norte para quem?
Moradores perguntam: Lagoas do Norte para quem?

Por Oscar de Barros

A região do “Encontro das Águas”, onde os rios Poti e Parnaíba se juntam, é conhecida como o lugar de origem de Teresina. Com o passar dos anos, e o abandono pelo poder público, no entanto, a área ganhou uma reputação bem menos nobre.

Os investimentos da cidade foram canalizados para outras regiões e aquele espaço ficou abandonado.

Aproximadamente 100 mil pessoas vivem naquela região. São indígenas e negros. A grande maioria especializada em atividades básicas para a sobrevivência: vazanteiros, pescadores e oleiros.

Depois de anos de decadência, a região ganhou um projeto de revitalização por meio de uma parceria entre a prefeitura de Teresina e o Banco Mundial denominado Lagoas do Norte.

A área ganhou infraestrutura de água e saneamento, um parque, ciclovias, ruas mais amplas. Mas perdeu seu povo de origem. O Lagoas do Norte está exilando cerca de 400 famílias de suas origens num momento em que a área recebe o tratamento que os moradores esperavam a décadas.  

Uma ironia: o Poder Público não investiu naquele espaço, enquanto índios e negros viram ali condições de sobrevivência. Após os investimentos, a comunidade é expulsa do local.

Maria Lúcia Oliveira, uma liderança da comunidade, fala, no vídeo a seguir, dos problemas do local:



Noutras oportunidades, este jornalista, tratou deste mesmo assunto. Veja: 

Moradores da zona norte dizem que falta dialogo com a prefeitura de Teresina sobre o Lagoas do Norte

Luzia Amélia: o Lagoas do Norte é ridículo...o Firmino é sensível, mas não é bonzinho

Revista destaca caso 'Lagoas do Norte' em Teresina e trabalho do jornalista Maurício Pokemon

Com cerca de 30 casas demolidas, Teresina aniversaria: Lagoas do Norte ou Palha de Arroz