Jovem do MST foi assassinado, pode ter sido crime de homofobia

Ele tinha 25 anos e residia junto de sua família na comunidade Coxilhão Santa Rosa no município de São José do Triunfo (PR)

Foto: MSTLindolfo Kosmaski
Lindolfo Kosmaski

A Escola Latina Americana de Agroecologia lamenta com profunda dor e indignação o assassinato de Lindolfo Kosmaski, jovem camponês e gay de 25 anos, que residia junto de sua família na comunidade Coxilhão Santa Rosa no município de São José do Triunfo (PR). Ele foi estudante do Curso de Licenciatura em Educação do Campo, uma parceria entre a ELAA e a UFPR/Setor litoral entre os anos de 2014 e 2019.

Lindolfo foi brutalmente assinado com dois tiros e teve seu corpo carbonizado, na última noite 30 de abril. Indícios apontam que foi crime de homofobia, por ele ser gay assumido.

O jovem era um educador do campo envolvido com a luta dos pequenos agricultores, de onde se originou e carregava esta identidade com muito orgulho. Se desafiou à candidatura de vereador na última eleição municipal de 2020, na qual não foi eleito, mas compartilhou com muita humildade seus sonhos e convicções de uma sociedade verdadeiramente livre.

Nos solidarizamos com sua família e exigimos investigação e punição aos assassinos.