Firmino Filho, Kleber Montezuma e um dos homens mais ricos do Brasil

Firmino Filho, Kleber Montezuma e um dos homens mais ricos do Brasil

Foto: google imagemJorge Paulo Lemann
Jorge Paulo Lemann

Por Oscar de Barros

Acompanhando o noticiário de hoje da imprensa teresinense uma notícia me despertou a atenção.

Está publicada no portal 180graus, assinada pela jornalista Apoliana Oliveira.

O título da matéria é: Firmino expõe exemplo da educação em Teresina durante evento da Fundação Lemann

E o seu conteúdo: O prefeito Firmino Filho participa neste domingo (29/09), em Embu das Artes (SP), do Encontro Redes que Transformam, organizado pela Fundação Lemann. Acompanhado do secretário de Educação do município, Kleber Montezuma, Firmino expõe sua experiência de gestão na promoção de melhorias na educação de Teresina. O encontro reúne cerca de 600 participantes do Brasil e do exterior, incluindo prefeitos, governadores, representantes do Congresso e Ministério da Educação. Atualmente, Teresina possui o melhor Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), com as melhores proficiências em matemática e língua portuguesa. Ainda no ano passado a PMT firmou parceria com a Fundação Lemann para o Programa Formar, para o alinhamento do currículo da rede municipal de acordo com a nova Base Nacional Comum Curricular.

Roubando aqui o chavão de outro jornalista, Amadeu Campos, eu diria: “até aí, tudo bem”.

Mas quem  é o dono da Fundação Lemann?

É o empresário Jorge Paulo Lemann – o segundo homem mais rico do Brasil, segundo a revista Forbes. Entre os mais ricos do mundo, ocupava a posição de número 37, em 2018.

Entre as empresas de Jorge Paulo Lemann pode-se destacar as Lojas Americanas. E a ANBEV (Brahma e Antartica) que depois tornou-se AB Inbev – a maior cervejaria do mundo.

Lemann gosta muito de política (ou sabe da importância dela para os grandes negócios)

Ele agora investe na política e já tem a bancada Lemann no Congresso Nacional.  Em 2016, para uma plateia de cerca de 300 jovens ele fez uma despretensiosa pergunta? “Quem aqui quer ser presidente do Brasil?” Cerca de uma dúzia levantou a mão. Era o encontra anual de uma rede de lideranças criada pela Fundação visitada agora por Firmino Filho. Quase 3 anos mais tarde ao menos cinco deles já assumiram cadeiras na Câmara ou em assembleias legislativas estaduais. O principal nome da bancada Lemann é a deputada federal Tabata Amaral que usou o PDT para se eleger. Os deputados de Lemann usam qualquer agremiação partidária. Do PDT ao Novo, passando pelo PSB e outros partidos. Lemann e seus sócios são muito próximos do tucanato brasileiro – entre eles, Aécio Neves.

Além de aumentar sua expressão política, Lemann está de olho em outro grande negócio. O mega-empresário quer ser dono da energia brasileira. Ele quer comprar a ELETROBRAS. E para isso já vem dando passos concretos. Recentemente, ele adquiriu por meros R$ 50 mil (preços de um carro de segunda mão) a piauiense CEPISA. Pela distribuidora de energia do Piauí, Lemann pagou até caro já que pela do Maranhão (CEMAR) ele teve que desembolsar apenas a módica quantia de 1 dólar. Depois da CEPISA e CEMAR, o grupo adquiriu a CEPAR – Centrais elétricas do Pará.

Voltando à política fica o registro de que outra fundação – a Estudar – também de Jorge Paulo Lamann foi quem registrou o domínio do Movimento Vem Pra Rua, um dos mais destacados movimentos no impeachment da presidenta Dilma Rousseff. Lemann era uma dos empresários apoiadores da idéia de que a presidenta do Brasil deveria ser destituída. Ou seja, ele foi um dos golpistas de 2016.

Firmino Filho e Klemer Montezuma (provável candidato a prefeito de Teresina pelo PSDB) tem todo o direito de ir e vir no Brasil e no mundo. O fato de estarem na Fundação Lemann não significa nenhuma irregularidade ou ilegalidade. Mas é bom registrarmos a movimentação dos homens do dinheiro brasileiro bem como dos homens públicos do Brasil.

Fica a dica!