Ex-dirigente da FEBRABAN e sua proposta progressista

O professor Renato Janine Ribeiro considera uma proposta super avançada

Foto: Instituto MilleniumRoberto Luis Troster
Roberto Luis Troster

Do facebook de Renato Janine Ribeiro 

O artigo mais importante e mais progressista que li nos últimos tempos saiu ontem na Folha e não vi ninguém comentar. Pudera: seu autor é Roberto Luis Troster, ex-economista-chefe da Febraban (Federação Brasileira de Bancos).

E é o artigo MAIS PROGRESSISTA que li em bastante tempo.

O que ele propõe:

1) Um imposto de renda negativo de 30% para quem ganha até 1500 reais por mês. Isto é, se vc não ganhou nada, receberá 30% de 1500 reais, isto é, 450 reais, que correspondem ao mínimo para a sobrevivência. Se ganhou mil reais, receberá 30% dos 500 restantes. É mais fácil e prático do que o Bolsa Familia.

2) Tributar no Imposto de Renda Pessoa Física não só os salários, mas os rendimentos de profissionais liberais (que pagam menos que os assalariados) e os dividendos (que pagam ZERO).

3) “A terceira alteração é a criação de uma faixa adicional para os que têm rendimentos mensais superiores a R$ 20 mil, com alíquota marginal de 35%. É a média praticada na América do Sul.”

As mudanças propostas serão mais que suficientes, calcula Troster, para financiar o imposto de renda negativo.