Desmilitarização da Funai: Lula prepara exoneração em massa na fundação

Lula já exonerou 11 coordenadores distritais de saúde indígena, vinculados ao Ministério da Saúde

Foto: ReproduçãoLula
Lula

O governo Lula prepara para esta terça-feira, 24, uma exoneração em massa de servidores da Funai (Fundação Nacional dos Povos Indígenas). A expectativa é que dezenas de funcionários sejam substituídos como forma de reformular o órgão, visto como prioritário pela gestão atual.

Um dos objetivos é iniciar um processo de ‘desmilitarização’ da entidade, após o ex-presidente da Funai, Marcelo Xavier, nomear integrantes das Forças Armadas para chefiar praticamente todas as unidades da fundação pelo País.

A medida ocorre poucos dias após o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) decretar emergência sanitária em terras Yanomami. No domingo, Lula já havia exonerado 11 coordenadores distritais de saúde indígena, vinculados ao Ministério da Saúde.

Levantamento feito pelo ministério apontou três mortes de crianças indígenas nas comunidades Keta, Kuniama e Lajahu entre 24 e 27 de dezembro. E, em 2022, foram registrados 11.530 casos confirmados de malária no Distrito Sanitário Especial Indígena Yanomami.

MUDANÇA. Amanhã é considerado o ‘dia D’ para diversos ministérios, que esperam o início oficial de sua criação para poder concluir nomeações represadas no segundo escalão, a exemplo das Cidades e da Integração. Os decretos servirão para formalizar a nova estrutura governamental.

Nem tudo deve ser resolvido de imediato. A decisão sobre o comando da Codevasf, que fica sob o guarda-chuva do Ministério da Integração e tem sido alvo de forte disputa política, deve ficar para o início de fevereiro.

Segundo técnicos do Palácio do Planalto, nesta terça serão publicadas diversas edições extras do Diário Oficial da União (DOU) para exonerar algumas pessoas de cargos antigos, que serão extintos, e renomeá-las nas novas funções.

Com informações do Estadão

ÚLTIMAS NOTÍCIAS