Debate entre cônjuges da política expõe machismo e oportunismo

Debate entre cônjuges da política expõe machismo e oportunismo

Foto: GoogleVereador Dudu, e a Deputada Lucy Soares
Vereador Dudu, e a Deputada Lucy Soares

O vereador Edilberto Borges, o Dudu, e a deputada Lucy Soares protagonizaram o debate politico de Teresina nesta semana.

Lucy disse que, Firmino Filho, estava preparado para ser governador em 2022.

Dudu, em momento infeliz, disse que Firmino deveria cuidar da própria cozinha – numa clara alusão ao matrimônio dos dois políticos e, numa, condenável expressão de machismo.

Dudu, calado é música de alta qualidade.

Lucy Soares, de forma assessorada e/ou de maneira espontânea, se aproveitou da oportunidade. Empunhou o discurso feminista e passou a pregar que “lugar da mulher é onde ela quiser”.

Esta claro para todos o quão machista é a sociedade brasileira, no caso, a piauiense. Tão machista que tem números inexpressivos da representação feminina na política.

Lugar de mulher é onde ela quiser. Disto não resta dúvida. O problema é discutirmos a representação política.

Independente de mulher ou homem a pessoa devia pleitear um cargo político após mostrar à sociedade um trabalho de relevância. No campo profissional, na militância social...enfim.

O matrimonio não deveria ser escada para a eleição de ninguém. Seja homem ou mulher.

Lucy vai ter que trabalhar e ralar muito para se ver livre da sombra do marido, Firmino Filho.

Assim como o Dudu tem trabalhado e ralado para mostrar que pode ser mais que o Dudu da Trindade.

Que o Dudu deixe de ser machista.

Que a Lucy não empunhe bandeiras autenticas, por oportunismo.