Cidade do MT obriga pessoas com Covid a usarem pulseira de identificação

Quem testar positivo para a doença em Lambari D´Oeste deverá portar a pulseira para que os demais cidadãos saibam e fiquem longe do infectado

Foto: DivulgaçãoPulseira identificativa

 

MT de Fato - Uma medida que lembra os métodos nazistas de segregação foi colocada em prática pelo prefeito de Lambari D´Oeste, no Mato Grosso, Marcelo Vieira Vitorazzi (PDT). Uma determinação municipal obriga pessoas com Covid-19 a usarem uma pulseira vermelha de identificação.

De acordo com a publicação da prefeitura, que circulou pela cidade nesta sexta-feira (16), as pessoas que realizarem o teste de Covid e o resultado for positivo deverão portar a pulseira para que os demais cidadãos saibam e fiquem longe do infectado.

A alegação é que, dessa forma, é possível evitar a propagação ainda maior do coronavírus. A pessoa que for obrigada a usar a pulseira só poderá retirá-la após avaliação de profissionais de saúde nas unidades públicas, clinicas e laboratórios particulares.

No caso de a pulseira rasgar, involuntariamente, o portador deverá comunicar imediatamente a unidade de saúde e se dirigir ao local para colocar uma nova. Quem rasgar o artefato de propósito será punido.

O descumprimento das regras previstas na lei, inclusive o rompimento da pulseira, causará multas, que vão de R$ 500 a R$ 1 mil, em caso de reincidência.

A mesma ideia tinha sido adotada, no início de abril, pela prefeitura de Apiacás, também no Mato Grosso. As duas cidades estão classificadas pelo governo do estado com risco alto para a contaminação do coronavírus.