Pensar Piauí

Câncer infantojuvenil : é preciso sensibilizar e conscientizar

Rede Feminina reforça a luta contra o Câncer infantojuvenil durante o setembro dourado

Foto: DivulgaçãoCâncer infantojuvenil
Câncer infantojuvenil

 

No mês de setembro, um cor especial ganha destaque nas campanhas de conscientização em todo o mundo: o dourado. O mês é dedicado à sensibilização e conscientização sobre o câncer infantil ou câncer pediátrico, uma doença que afeta milhares de crianças em todo o planeta. A Rede Feminina de Combate ao Câncer do Piauí (RFCC/PI), em parceria com a Confederação Nacional de Instituições de Apoio e Assistência à Criança e ao Adolescente com Câncer (CONIACC), estão durante todo o mês mobilizando a campanha “O Câncer Infantojuvenil Existe de Verdade”.

Utilizando personagens do imaginário infantil, como a Zebra Astronauta, as entidades chamam a atenção pela contraposição da fantasia das crianças com uma realidade dura e silenciosa: os sinais e os sintomas do câncer infantojuvenil existem de verdade.

No Brasil, o Instituto Nacional do Câncer (INCA) estima que ocorrerão 7.930 novos casos de câncer infantojuvenil anualmente no triênio de 2023 a 2025, sendo 4.230 casos novos no sexo masculino e 3.700 no sexo feminino. É preocupante saber que o câncer infantojuvenil é a principal causa de morte entre jovens de zero a 19 anos no território brasileiro. Embora o câncer infantil geralmente não possa ser prevenido por meio de rastreamento, a boa notícia é que a maior parte dos casos pode ser curada com tratamentos como medicamentos, cirurgia e radioterapia, caso a doença seja descoberta em estado inicial. Em países com alto Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), a taxa de sobrevida atinge impressionantes 85%, enquanto no Brasil, essa média fica em torno de 60%, conforme dados do próprio INCA.

A presidente da RFCC-PI, Carmen Campelo destaca a importância desse diagnóstico precoce. “Os pais e responsáveis precisam ficar atentos aos sintomas, já que o câncer infantil pode ser muito silencioso, mas com o diagnóstico precoce há 70% de chance da cura”, ressalta. 

Alguns dos sintomas para ficar em alerta, de acordo com o INCA, são: vômitos acompanhados de dores de cabeça, desequilíbrio ao andar, dificuldade em se movimentar, dores nos ossos ou nas juntas (articulações), modificação repentina da cor da pele (geralmente pálida), febre frequente ou persistente, perda de peso, fraqueza, sangramento em geral, entre outros.

Em meio a esse cenário desafiador, a RFCC/PI, neste setembro dourado reforça o apoio integral às crianças e adolescentes que travam essa batalha. Para apoiar essa luta no Piauí, há a Casa de Maria – Lar de Apoio à Criança com Câncer. “Nós realizamos o amparo das crianças portadoras de câncer em situação de vulnerabilidade social. Elas vem acompanhadas por um responsável para em Teresina realizar o tratamento, na maioria eles vem do interior do Piauí, Teresina ou até de outros estados”, relembra a presidente.

Neste Setembro Dourado, unamo-nos em solidariedade e compromisso com a luta contra o câncer infantil. A conscientização é o primeiro passo para a mudança, e juntos podemos tornar o câncer infantil uma batalha vencida, cheia de esperança e sucesso.

Com informações da Ascom da Rede Feminina de Combate ao Câncer do Piauí (RFCC/PI)

ÚLTIMAS NOTÍCIAS