Bolsonaro: Pobres foram "acostumados" a não aprender profissão

Bolsonaro reclamou dos brasileiros de baixa renda, dizendo que é "um trabalho gigantesco" tirá-los da pobreza

Foto: Cristiano Mariz/VEJAPobres no Brasil
Pobres no Brasil

 

Em entrevista à emissora católica Rede Vida na noite da quarta-feira (21), Jair Bolsonaro (PL) voltou a negar que no Brasil há 33 milhões de pessoas passando fome e voltou a atrelar as pessoas pobres à preguiça.

De acordo com o presidente há pobres no Brasil mas "não é esse número todo". Ele afirmou ainda que as pessoas são pobres por terem sido "acostumadas" a isso.

"Agora, tirar as pessoas da linha da pobreza é um trabalho gigantesco. São pessoas que foram ao longo dos anos acostumadas a não se preocupar ou o estado negar uma forma de ela aprender uma profissão", disse.

Aos eleitores católicos, Bolsonaro fez questão de repetir o mantra sobre aborto, legalização das drogas e ideologia de gênero, além de atacar o Supremo Tribunal Federal (STF), por ser "completamente independente", para defender sua política armamentista.

"Já o Judiciário se coloca como um poder, no caso o Supremo Tribunal Federal, completamente independente. Eles têm um ativismo muito forte. O último agora foi mexer nos decretos [de armas]", afirmou.

Com informações da Forum 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS