Racismo

Vídeo: jovem é expulso de shopping e acusa estabelecimento de racismo

Estabelecimento diz que ação foi motivada por suspeita de importunação sexual do jovem e que as imagens vão ser analisadas


Foto: ReproduçãoJovem é expulso de shopping e denuncia seguranças de racismo, em Fortaleza
Jovem é expulso de shopping e denuncia seguranças de racismo, em Fortaleza

Um jovem de 26 anos acusa um shopping de Fortaleza (CE) por prática de racismo após ser expulso do estabelecimento por seguranças. De acordo com o centro comercial, a ação foi motivada por suspeita de importunação sexual e declara que as imagens captadas pelas câmeras serão analisadas.

O caso ocorreu durante a noite do sábado (13) com Tomas Michael da Silva Adewoye, que é de São Paulo. Ele registrou a ocorrência no 34ª DP na manhã do domingo (14).

Familiares e amigos que acompanhavam Tomas gravaram vídeos do momento em que ele foi detido e expulso. As imagens mostram um segurança imobilizando Michael por trás, enquanto os outros afastam as pessoas do local.

Em nota, o Shopping Benfica comunicou que apura as imagens e chamou o jovem para ouvir sua versão. Segundo o comunicado, a ação foi necessária, pois, de acordo com o que relatou o supervisor dos seguranças, Tomas estaria gravando mulheres com um aparelho celular.

"Foi necessária a reação para controlar agressões, a fim de preservar a integridade de todos: envolvidos e os demais que não tinham participação no fato ocorrido", diz a nota.

Tomas nega a acusação e alegou, ainda, que foi xingado durante a imobilização. Ele afirma estar com ferimentos leves na orelha.

"Do lado de fora, os seguranças chamaram uma mulher lá de dentro, que eu não tinha visto e nem se identificou, para dizer aos policiais que eu estava importunando a filha dela. Estava com minha mãe, uma senhora de idade, e amigos. Eles não têm provas para me acusar assim", contou Tomas.

Ele relatou que foi ao shopping fazer compras com a família e amigos. Em certo momento, ele diz que se separou do restante dos familiares e parou em um bar na praça de alimentação.

"Parei para beber uma cerveja e fiz vídeos de mim mesmo para câmera, não filmei ninguém. Já tinha percebido que estava sendo vigiado por três seguranças. Não fiz nada e quase fui para a delegacia por importunação sexual", afirmou.

Procurada, a Secretaria de Segurança de Fortaleza não respondeu, até a publicação deste texto, sobre o andamento das investigações.

Vídeo:

Com informações da Folha de S. Paulo

Deixe sua opinião: